Um idoso de 88 anos foi esta segunda-feira, dia 20, intercetado por militares do posto de Celorico da Beira por conduzir na autoestrada A25 (que liga Aveiro a Vilar Formoso) em contramão. Tudo aconteceu na zona de Celorico da Beira pertencente ao distrito da Guarda. O condutor que seguia em contramão foi intercetado junto ao nó de entrada da A25 para a vila de Celorico da Beira. O idoso em questão não provocou nenhum acidente.

Segundo o Comando Territorial da GNR da Guarda, o idoso em questão seguia em direção à cidade da Guarda com o objetivo de renovar a sua carta de condução. As razões que levaram o condutor, no regresso à cidade da Guarda, a seguir em contramão em plena autoestrada A25 são ainda desconhecidas.

Publicidade
Publicidade

O idoso, residente no concelho do Sabugal, distrito da Guarda, foi intercetado por volta das 17h30 desta segunda-feira, dia 20. Este circulava no sentido Viseu-Guarda em contramão quando foi intercetado pelos militares de Celorico da Beira.

A GNR desconhece ainda a distância total percorrida pelo condutor em contramão na autoestrada A25, pois não sabe se o idoso em questão entrou no nó de Mangualde, no distrito de Viseu, ou se entrou no nó Fornos de Algodres, no distrito da Guarda. Segundo a mesma fonte, já vários condutores que seguiam na A25 tinham tentado alertar todas as autoridades da condução perigosa do condutor em questão. O idoso já foi libertado e terá de comparecer na terça-feira, dia 21 do mesmo mês, no tribunal de Celorico da Beira, localidade onde foi intercetado.

Felizmente, o condutor que seguia em contramão na autoestrada A25 não provocou nenhum acidente, não havendo, deste modo, feridos resultantes da sua condução perigosa.

Publicidade

O idoso em questão não seguia alcoolizado, pois o teste de alcoolémia deu negativo. Muitos têm sido os casos de condutores a circular em contramão nas estradas portuguesas.

A GNR afirmou ainda que o idoso trazia o atestado médico em como não era portador de qualquer doença. Segundo a mesma fonte, o condutor em questão não deve ter dado conta que seguia em contramão pois, ao ser intercetado, mostrou-se bastante colaborante e teve uma atitude "pacata". A operação demorou cerca de 15 minutos, segundo a GNR. #Crime