Armando Vara vai esta sexta feira ser ouvido pelo juiz #Carlos Alexandre, no Tribunal Central de Investigação Criminal, em Lisboa. O ex-ministro do PS foi detido ontem no âmbito da mesma investigação, a Operação Marquês, que conduziu o amigo pessoal José Sócrates à prisão. Vara é suspeito de corrupção, branqueamento de capitais e fraude fiscal, de acordo com a Procuradoria-Geral da República. Em causa está o financiamento por parte da Caixa Geral de Depósitos ao empreendimento Vale do Lobo, no Algarve, em 2006.

A equipa de investigação liderada pelo procurador Rosário Teixeira desconfia dos contornos em que o investimento Vale do Lobo foi financiado. A Caixa Geral de Depósitos, onde Armando Vara era administrador em 2006, decidiu co-financiar o empreendimento, ficando com uma participação de 25 por cento, a qual já colocou à venda entretanto. A Polícia Judiciária efetuou ontem buscas na sede do banco, em Lisboa, e noutros pontos do País, incluindo a residência do ex-ministro socialista e no seu escritório.

A investigação tem indícios que José Sócrates recebeu luvas de 12 milhões de euros, que terão chegado a uma conta na Suíça em nome de Carlos Santos Silva, arguido no processo Operação Marquês e amigo pessoal de longa data do ex-primeiro-ministro. Esse montante terá ainda passado pelas mãos do empresário Helder Bataglia, do grupo Escom, e Joaquim Barroca, administrador do Grupo Lena, ambos já arguidos neste processo.

Armando Vara passou a noite no Comando Distrital de Lisboa da PSP, em Moscavide, o mesmo local onde José Sócrates pernoitou enquanto esteve a ser ouvido aquando da sua detenção. O ex-governante será ouvido hoje e ficará a conhecer as medidas de coação. Atualmente, apenas o ex-primeiro-ministro se encontra em regime de prisão preventiva, dado que rejeitou regressar a casa com pulseira eletrónica.

Recorde-se que Armando Vara é ainda arguido do processo Face Oculta, onde foi condenado a cinco anos de cadeia efetiva, por receber dinheiro para facilitar adjudicações ao empresário Manuel Godinho, também ele condenado. A pena ainda não está a ser cumprida uma vez que o ex-ministro interpôs recurso. #Justiça #Crime