Viveram-se momentos de terror na madrugada de domingo na Praia da Rocha. Por volta das 4 da manhã, um condutor de 25 anos, alcoolizado e sem carta de condução, atropelou mais de uma dezena de pessoas, na tentativa de fugir à polícia local. Um clima de festa numa das praias mais movimentas do verão algarvio, rapidamente passou para um cenário de terror e pânico geral, com dezenas pessoas caídas e gritos generalizados. O jovem condutor fugiu imediatamente do local, mas passado cerca de uma hora foi neutralizado pela PSP.

Às quatro da manhã de domingo, dezenas de pessoas, na sua grande maioria turistas, estavam na rua a festejar o verão ao lado da Praia da Rocha, até que um carro a alta velocidade decidiu acabar os festejos mais cedo.

Publicidade
Publicidade

Segundo avança o Correio da Manhã, o condutor não tinha carta e estava severamente alcoolizado, encontrando-se a fugir da #Polícia, que que lhe tinha pedido para parar a viatura por duas vezes, antes da tragédia. O pânico e o terror foram gerais e o facto de não ter havido uma única vítima mortal foi praticamente um milagre.

No balanço final deste atropelamento a uma multidão que se divertia perto da praia, registam-se 13 pessoas feridas, sendo que 11 já tiveram alta e somente duas estão a ser ainda tratadas, estando ambas fora de perigo. O condutor, depois do embate, continuou a fugir e mais tarde foi preso já dentro de sua casa, apresentando uma taxa de alcoolemia superior ao legal, 0,78 g/l de álcool no sangue. A PSP fez uma verdadeira caça ao homem, enquanto não conseguiu identificar o responsável por tamanha atrocidade.

Publicidade

"Foi o pânico total. Só se ouvia pessoas a gritar e a fugir, estando já muitas no chão, atropeladas violentamente pelo carro. Isto foi claramente uma tentativa de homicídio, ninguém no seu perfeito juízo acelera contra uma multidão. O condutor tem que pagar pelo que fez e pelo facto de ter colocado muitas pessoas em perigo de vida", confessou Carlos Silva, uma das testemunhas que estiveram presentes na altura da tragédia, ao Correio da Manhã. #Crime