Quatro pessoas, duas delas acamadas, foram retiradas esta segunda-feira, 3 de Agosto, das suas habitações no concelho de Oleiros devido a um violento #Incêndio florestal. As chamas eclodiram cerca das 13:40 horas na freguesia de Álvaro, naquele concelho do distrito de Castelo Branco. Dez horas depois, o fogo apresentava ainda uma frente activa, com vários quilómetros, estando a ser combatido por mais de 480 operacionais auxiliados por 153 veículos. Uma viatura da Corporação de #Bombeiros de Vila Rei acabou por se despistar provocando ferimentos ligeiros em dois bombeiros que tiveram de receber tratamento hospitalar.

O incêndio iniciou-se numa zona de floresta muito densa tendo evoluído de forma muito violenta.

Publicidade
Publicidade

No teatro das operações chegaram a estar a actuar nove meios aéreos que mesmo assim não conseguiram dominar as chamas. Ao longo do dia a Autoridade Nacional da Protecção Civil (ANPC) foi reforçando os meios no local. Segundo aquela mesma entidade, às 23:40 horas, encontravam-se nas operações de combate ao incêndio 484 operacionais auxiliados por 153 veículos, entre bombeiros, sapadores, e elementos do Grupo de Intervenção e Protecção de Socorro (GIPS) da Guarda Nacional Republicana (GNR).

Foram deslocados para aquela zona do Pinhal Interior Norte do distrito de Castelo Branco, grupos de Reforço para Ataque Ampliado de Leiria, Lisboa, Setúbal, Porto, e Coimbra, bem como grupos de Reforço para Combate de Incêndios de Coimbra, Aveiro e Portalegre. Também 4 máquinas de rastos foram acionadas para abrir caminhos com vista a facilitar o acesso dos meios à frente de incêndio.

Publicidade

Estava, ainda, no teatro de operações uma Equipa de Reconhecimento e Avaliação da Situação da Força Especial de Bombeiros, segundo informações tornadas públicas pela ANPC.

Entretanto, a Rádio Condestável noticiou o despiste de uma viatura de Bombeiros Voluntários de Vila de Rei, o que provocou ferimentos ligeiros em 2 elementos da corporação, que tiveram de ser socorridos no Hospital Amato Lusitano, de Castelo Branco. À mesma estação radiofónica, o Comandante Distrital das Operações de Socorro, Rui Esteves, afirmou que “o combate ao incêndio tem sido dificultado pelo vento forte, declives acentuados e sem acessos”.

Por sua vez, às 22 horas, aos microfones da TSF, o Presidente da Câmara Municipal de Oleiros reconheceu a dificuldade dos operacionais em controlar as chamas, que apresentava uma “frente muito activa”, estando a “fazer todos os esforços para evitar que o incêndio chegue à vila de Oleiros”. O autarca esclareceu, também, que os 4 moradores em habitações isoladas foram retirados e transportados para o Centro de Saúde local por precaução.