O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAA) está a apurar as causas do acidente ocorrido na manhã deste domingo, 20 de Setembro, em Tomar. A queda de um ultraleve aconteceu no campo de voo de Valdonas, tendo provocado a morte dos seus dois ocupantes. Segundo as primeiras informações tornadas públicas, trata-se de um homem com cerca de 40 anos de idade e de um jovem, cuja idade não foi avançada pelas autoridades. O aparelho participava no 13º Encontro dos Templários. No início do passado mês de Janeiro a queda de um outro ultraleve no mesmo local também provocou a morte de uma pessoa.

Estavam reunidas todas as condições para que fosse um domingo de convívio entre os amantes dos ultraleves em Valdonas, aproximadamente a três quilómetros da cidade de Tomar.

Publicidade
Publicidade

A organização, a cargo da Associação Tomarense de Aviação Ultra-Ligeira, emitiu previamente um guia de procedimentos para os participantes naquele encontro, fornecendo designadamente indicações para chegar até aquele aeródromo não controlado. No mesmo documento, sob o lema “Ver e Ser Visto”, eram divulgadas igualmente instruções para aterragens em caso de emergência, com a a associação a recomendar procedimentos em caso de dificuldades sentidas ou situações anormais, para que fosse prestada ajuda.

Só após a conclusão da investigação dos técnicos do GPIAA se poderá perceber quais as verdadeiras causas da queda do ultraleve que vitimou mortalmente os seus dois ocupantes. O alerta foi dado às 10:20 horas deste domingo, 20 de Setembro. O Jornal de Notícias cita uma fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém para informar que os primeiros socorros foram prestados pelos Bombeiros Municipais de Tomar, auxiliados por uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

Publicidade

No entanto, as vítimas não resistiram aos ferimentos e o óbito acabou por ser declarado no local, tendo os cadáveres sido transportados para o Instituto de Medicina Legal de Tomar.

Recorde-se que às 17:15 horas do dia a 3 de Janeiro deste ano, a queda de um outro ultraleve no mesmo campo de voo provocou a morte de José Filipe Borga, um empresário de Ourém com 51 anos de idade. #Acidente de Aviação