Num bairro em Aveiro, uma mulher de 91 anos, viúva, e o vizinho de 49 anos, eletricista, envolveram-se em jogos sexuais que terminaram de forma trágica. A idosa morreu asfixiada no dia 2 de outubro de 2014, durante a atividade sexual, que de alguma forma se descontrolou. O caso só agora foi desvendado pela Polícia Judiciária, que sempre acreditou tratar-se de um homicídio.

A vítima foi abandonada na cama pelo suposto autor do #Crime, após ter encenado um plano para que parecesse ter sido um acidente. Colocou o vibrador junto ao corpo da vítima e em cima do peito uma fotografia do falecido marido. Este cenário encenado trouxe confusão à investigação a cargo da PJ, mas o sémen, com o seu ADN retirado do corpo da vítima, traiu o eletricista. 

Contudo, a verdade ainda não estava totalmente apurada.

Publicidade
Publicidade

Em Aveiro, os vizinhos da idosa referiram que era adepta de jogos sexuais e que não se coibia de falar sobre isso a quem conhecia. Não havia certezas quanto a homicídio, pois as marcas no pescoço eram subtis.  

A asfixia foi sustentada através da autópsia. As lesões genitais na vítima não poderiam ter sido feitas com o objeto que estava junto do corpo e já não havia dúvidas de que outra pessoa tinha estado presente. O perfil genético foi identificado através de recolha do ADN presente no corpo da mulher. 

Na casa da idosa não havia indícios de arrombamento, nada havia sido roubado e a Policia Judiciária de Aveiro iniciou a investigação ao contrário do que é usual. Os investigadores tentaram descobrir quem frequentava a casa da mulher e descobriram que o eletricista, casado e com duas crianças, era visita frequente na casa da vítima para "biscates de eletricidade" e pintura, segundo os moradores do bairro. 

O homem, a quem foram feitos testes, rejeitou dar explicações sobre o ocorrido.

Publicidade

Na passada terça-feira o eletricista foi a tribunal e saiu em liberdade após a juíza entender de que se tratou de um acidente e que não havia mais vítimas envolvidas. 

Recentemente o eletricista, sem cadastro, mudou-se para outra freguesia de Aveiro. A vizinha que encontrou o corpo, Ana Martins, está incrédula, não acreditando que foi o eletricista que cometeu o crime.  #Insólito