O atleta olímpico de BTT, David Rosa, é o primeiro subscritor de uma petição que exige melhores condições de segurança para os ciclistas. O documento surgiu depois da morte, no passado dia 21 de Janeiro, de Tiago Peixoto Valério. O jovem de 26 anos, praticante de BTT, perdeu a vida ao ser atropelado por um automóvel na noite anterior, quando fazia o seu treino habitual. A petição, já subscrita por quase 7.500 pessoas, será enviada ao #Governo, ao Instituto de Mobilidade e dos Transportes e à Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.

Pelo Direito a Pedalar em Segurança” é a designação da petição, promovida pela Estrada Viva, com o apoio da Federação Portuguesa de Ciclismo e da Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta (MUBi).

Publicidade
Publicidade

Os peticionários consideram que as estatísticas portuguesas são “vergonhosas” relativamente aos peões e condutores de velocípedes que morrem ou ficam gravemente feridos. Daí que “ainda há muito a fazer ao nível das políticas públicas, legislação, fiscalização e medidas físicas de acalmia de tráfego”, dizem.

Aliás, os subscritores frisam que se a maioria dos automobilistas cumprisse o Código da Estrada, haveria mais segurança nas ruas e nas estradas nacionais, com grande diminuição nos números de sinistralidade rodoviária. Contudo, tal não acontece, e por isso há que reduzir comportamentos de risco por parte dos condutores de veículos motorizados. Para além daquela petição, as entidades apoiantes requereram uma audiência à Ministra da Administração Interna para lhe propor a constituição de um grupo de trabalho multidisciplinar que coordene a implementação de algumas medidas consideradas urgentes.

Publicidade

Entre as propostas consta uma fiscalização mais intensa do cumprimento da lei, designadamente dos comportamentos perigosos relativos aos utilizadores de bicicletas, considerados vulneráveis. De entre outros comportamentos, encontram-se os excessos de velocidade, o estacionamento ilegal sobre ciclovias e passeios, bem como a ausência dos cuidados necessários em caso de ultrapassagem de ciclistas, como é o caso da salvaguarda de uma distância lateral mínima de um metro e meio.

Outra das propostas passa por rever com urgência o Regulamento de Sinalização de Trânsito, com vista a permitir a implementação de sinalética que proteja peões e ciclistas, assim como de indicações que alertem para a presença de condutores de velocípedes. Os peticionários pretendem, igualmente, incrementar uma educação para a cidadania rodoviária nos currículos escolares e nos processos de obtenção da Carta de Condução. #Acidente