Durante as últimas noites, o Norte de Portugal tem sido vítima de fortes e permanentes chuvadas, trovoadas e ventos fortes. O alerta tinha sido lançado: primeiramente, os distritos de Viana do Castelo, Braga, Vila Real, Viseu, Porto e Aveiro tinham alerta laranja; face ao agravamento das condições meteorológicas, os dois últimos distritos viram o alerta aumentado para vermelho. 

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) alertou para a previsão de mau tempo, com a indicação de longos períodos de chuva, trovoada intensa e ventos perto dos 120 km/hora. 

Norte inundado

Várias foram as localidades do Norte do país que sofreram as consequências meteorológicas: em Matosinhos (Porto), ocorreu um tornado de baixa intensidade que afectou e destruiu, pelo menos, cerca de 20 casas, na zona da praia de Angeiras;

O centro histórico de Amarante, face à subida do nível das águas do rio (que ultrapassou os seis metros), acabou por ser inundado, afectando vários estabelecimentos;

Muitas foram as áreas de cultivo afectadas pela subida (cerca de 1,50m) do caudal do rio Tâmega, em Chaves;

Na zona da Maia, em Nogueira, uma rua aluiu após a água da chuva ter inundado o espaço comercial MaiaJardim, tendo por consequência, tapado as passagens da saída da água;

Já em Moreira da Maia tinha ocorrido a queda de um murro face à brutal força da água;

Em Leça do Balio, a passagem encontra-se bloqueada em várias ruas que acompanham o leito do rio, pela subida do mesmo e consequente invasão das estradas;

Tanto em Paredes como na Trofa, o cenário é semelhante. 

Também nas Beiras

Em Mangualde registou-se o descarrilamento de um comboio de passageiros, depois do choque co um obstáculo que obstruiu a via, em consequência do mau tempo. Já hoje, em Coimbra, as esplanadas do Parque Verde do Mondego encontram-se inundadas, e prevêem-se horas de aflição para os concelhos do Baixo Mondego.

Porto e Gaia ainda em alerta

Perante a elevada quantidade de chuva que tem entrado pela bacia hidrográfica do Douro, a protecção civil alertou a população e os comerciantes locais da zona ribeirinha das cidades de Porto e Gaia para a possibilidade de subida no nível das águas. De acordo com a RTP, o pico ocorreu às 3h30, chegando a atingir 1 metro de altura, obrigando os moradores a tarefas de limpeza ao raiar do dia.

Até Sábado, dia 9 de Janeiro, as autoridades tinham já registado mais de 800 ocorrências. Perante todo este cenário, a proteção civil pede à população para continuar em permanente alerta face à continuação desta previsão meteorológica. 

Num momento em que o Sul do país está direcionado para a batalha verbal entre Jorge Jesus, treinador do Sporting Clube de Portugal, e Rui Vitória, treinador do Sport Lisboa e Benfica, o Norte de Portugal tenta resistir a esta batalha com a Natureza.  #Catástrofes Naturais