Apesar de a ideia não ser inédita, o certo é que está a despertar a atenção de muitos. Um grupo de mulheres bombeiras da Corporação de Arcos de Valdevez, no distrito de Viana do Castelo, protagoniza um calendário. O objectivo é angariar receitas para ajudar a instituição a realizar obras de ampliação e requalificação do quartel. Por outro lado, revela os rostos das mulheres que diariamente vestem a farda para garantir o socorro à população arcuense.

O mau tempo impediu que os #Bombeiros realizassem o habitual “Cantar das Janeiras” que, anualmente, ajuda a angariar receitas para a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez. Em resposta, o comandante Filipe Guimarães lançou um desafio às mulheres bombeiras da corporação. Que vestissem o papel de modelo para ilustrar um calendário de 2016. E, em poucos dias, 11 bombeiras do corpo activo despiram-se de preconceitos, arregaçaram as mangas e cederam a sua imagem para a iniciativa. Posaram para as fotografias que ilustram cada um dos meses do calendário, e numa “operação relâmpago” foi produzido numa gráfica local.

O documento está à venda na secretaria da Associação Humanitária, nas igrejas e nas freguesias do concelho, por cinco euros o exemplar. Na rua encontram-se 2.000 exemplares que, segundo Filipe Guimarães, se forem todos vendidos fazem daquele projecto um sucesso.

Para o presidente da direcção da instituição, Germano Amorim, aquela iniciativa é de louvar, até porque irá ajudar a Associação Humanitária a realizar as obras de ampliação e requalificação do quartel, com cerca de 40 anos. Um investimento que ronda o meio milhão de euros, financiada em 85 por cento pelos fundos comunitários. O dirigente afirma que os restantes 15 por cento deverão ser assegurados pela Câmara Municipal de Arcos de Valdevez. Todavia, refere que existem outras necessidades a realizar no mesmo quartel que terão de ser respondidas por fundos próprios da instituição. Por outro lado, Germano Amorim refere que o calendário permite que a população fique a “conhecer os rostos femininos que diariamente asseguram o socorro”.