Rodrigo Lapa, o jovem algarvio de 15 anos desaparecido desde a última semana, foi encontrado sem vida, esta manhã em Portimão. O corpo do jovem algarvio foi identificado pela sua mãe, depois de ter sido encontrado num terreno baldio, em frente à sua casa, por um militar de GNR na sequência de uma operação conjunta entre a GNR e a Polícia Judiciária. O cenário indica que o jovem foi vítima de homicídio. O cadáver estava escondido debaixo de uma árvore.

O jovem deixou a sua casa na manhã do dia 22 de Fevereiro e não voltou. Após ao desaparecimento do rapaz, a polícia realizou buscas à casa e aos terrenos que haviam sido remexidos, perto da residência do jovem. Rodrigo vivia com a sua mãe, Célia Barreto, bem como com o padrasto que viajou para o Brasil, na tarde do mesmo dia em que ocorreu o desaparecimento de Rodrigo, e com a sua irmã, Luana, de 6 meses.

O facto do padrasto ter viajado no dia 22 de Fevereiro fez com que a polícia investigasse o indivíduo, de nacionalidade brasileira, para descobrir o que aconteceu a este jovem. A relação entre o jovem e o padrasto, como revela a mãe, não era a mais amigável. 

A família, inclusive o pai de Rodrigo, e os amigos foram ouvidos pela Polícia Judiciária. Célia Barreto foi ouvida 3 vezes pelos investigadores da PJ. O adolescente desapareceu há mais de uma semana, saiu de casa para ir para a escola mas acabou por não chegar ao seu destino, como confirmam os colegas e amigos do adolescente.

Neste momento as autoridades estão no local, que se encontra isolado, à espera da PJ, para que o corpo seja levado para as imediações do Gabinete de Medicina Legal, de Portimão, de maneira a que a causa e a hora da morte de Rodrigo sejam descobertas e reveladas. Os agentes da GNR permanecem no local a proteger este lugar dos olhares dos curiosos, uma vez que a notícia abalou os moradores vizinhos.

A mãe do jovem, Célia Barreto, está a ser acompanhada por um agente da autoridade, mas a polícia não revelou qualquer suspeitas sobre o envolvimento ou não de Célia na morte do seu filho de 15 anos.  #Crime #Violência