Um ajuste de contas entre famílias rivais, de etnia cigana, estará na origem de um #Crime ocorrido na madrugada desta quarta-feira, 25 de Maio. Um grupo de seis indivíduos invadiu a habitação onde se encontravam várias pessoas. Um dos habitantes, um homem de 40 anos, foi foi esfaqueado no pescoço e teve morte imediata. Um irmão da vítima, que estava na mesma residência, foi também esfaqueado e teve de ser transportado ao hospital. Os agressores fugiram para parte incerta.

A Polícia Judiciária de Setúbal está a investigar os contornos do crime, no sentido de apurar as circunstâncias que estiveram na origem do homicídio e identificar os presumíveis autores. Tudo aconteceu pouco antes das 4:30 horas da madrugada desta quarta-feira, 25 de Maio, numa residência na pequena localidade de Brunheiras, próximo de Vila Nova de Milfontes, no concelho de Odemira.

O cadáver foi removido e transportado para o Gabinete Médico-Legal do Hospital de Beja, onde será submetido a autópsia forense. O irmão da vítima, que se encontrava na mesma habitação, também foi agredido com uma arma branca, tendo sido socorrido e transportado para o Hospital do Litoral Alentejano, em Santiago do Cacém. Já uma mulher, igualmente presente na mesma residência, saiu ilesa daquele violento ataque, tendo dado o alerta às autoridades, sendo agora considerada uma das testemunhas fulcrais para que o caso seja esclarecido.

O Jornal de Notícias cita uma fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR) e informa que os agressores fugiram em direcção a Sines, tendo as autoridades montado uma operação de “caça ao homem” com vista a determinar a sua localização. 

A ocorrência foi registada pelos militares do Posto Territorial da GNR de Vila Nova de Milfontes, tendo a investigação sido entregue à Polícia Judiciária de Setúbal, que enviou ao local uma equipa de inspectores para recolha de vestígios e de testemunhos. De acordo com o Notícias ao Minuto, na base do crime estarão desavenças anteriores entre os criminosos e as vítimas.