Gonçalo Costa, de 16 anos, morreu na sequência de um violento #Acidente ocorrido na madrugada de sábado, 28 de Maio, no Itinerário Complementar (IC) nº 2, na zona da Mealhada. Viajava na companhia da mãe, de 48 anos, e da irmã, de 20 anos, quando o automóvel chocou frontalmente com outro que seguia em sentido contrário. O rapaz faleceu à chegada ao hospital. A mãe e a irmã sofreram ferimentos graves, assim como os dois ocupantes do outro automóvel, dois homens de 33 e 22 anos.

Beatriz Costa, de 20 anos, tinha estado a cantar com a sua banda “Viúva Negra” num bar de Coimbra. Eram cerca das quatro horas da madrugada quando regressava a casa na companhia do irmão Gonçalo e da mãe Alexandrina Santa Rita, professora primária em Oiã, no concelho de Oliveira do Bairro, onde residem. No entanto, a viagem foi tragicamente interrompida poucos minutos depois de terem saído de Coimbra. No IC2, entre Sargento Mor e Santa Luzia, na zona da Mealhada – num dos pontos negros daquele itinerário complementar - o automóvel chocou de forma brutal com outro que seguia em sentido contrário, onde viajavam dois homens residentes na Granja do Ulmeiro, concelho de Soure.

O jovem Gonçalo ficou encarcerado e chegou a ser transportado ao Hospital Pediátrico de Coimbra, mas não resistiu aos ferimentos, tendo acabado por morrer já na unidade hospitalar. A mãe e a irmã também foram transportadas para Coimbra, tendo dado entrada no serviço de urgências dos Hospitais da Universidade (Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra) em estado grave, tendo sido submetidas a intervenções cirúrgicas. Os dois ocupantes do outro automóvel também foram transportados para a mesma unidade hospitalar, mas em estado estabilizado, apesar de também terem sofrido ferimentos considerados graves.

Gonçalo Costa estudava em Oiã e integrava o Agrupamento de Escuteiros e a catequese local. Era atleta do Águas Boas, clube de Oliveira do Bairro, desde os seis anos de idade. “Sempre divertido, sempre com um sorriso na cara, amigo de todos, envergou a nossa camisola com orgulho”, refere o clube na sua página no Facebook, lamentando a sua morte e desejando que a mãe a irmã “melhorem o seu estado de saúde”.

No local do acidente estiveram os #Bombeiros Voluntários da Pampilhosa do Botão e da Mealhada, bem como o Instituto Nacional de Emergência e Reanimação (INEM) com duas viaturas médicas de emergência e reanimação (VMER) e uma ambulância de Suporte Imediato de Vida (SIV). As circunstâncias em que ocorreu a brutal colisão estão a ser investigadas pelo Núcleo de Investigação a Acidentes Rodoviários da Guarda Nacional Republicana (GNR).