Gonçalo Costa, de 16 anos, morreu na sequência de um violento acidente ocorrido na madrugada de sábado, 28 de Maio, no Itinerário Complementar (IC) nº 2, na zona da Mealhada. Viajava na companhia da mãe, de 48 anos, e da irmã, de 20 anos, quando o automóvel chocou frontalmente com outro que seguia em sentido contrário. O rapaz faleceu à chegada ao hospital. A mãe e a irmã sofreram ferimentos graves, assim como os dois ocupantes do outro automóvel, dois homens de 33 e 22 anos.

Beatriz Costa, de 20 anos, tinha estado a cantar com a sua banda “Viúva Negra” num bar de Coimbra. Eram cerca das quatro horas da madrugada quando regressava a casa na companhia do irmão Gonçalo e da mãe Alexandrina Santa Rita, professora primária em Oiã, no concelho de Oliveira do Bairro, onde residem. No entanto, a viagem foi tragicamente interrompida poucos minutos depois de terem saído de Coimbra. No IC2, entre Sargento Mor e Santa Luzia, na zona da Mealhada – num dos pontos negros daquele itinerário complementar - o automóvel chocou de forma brutal com outro que seguia em sentido contrário, onde viajavam dois homens residentes na Granja do Ulmeiro, concelho de Soure.

O jovem Gonçalo ficou encarcerado e chegou a ser transportado ao Hospital Pediátrico de Coimbra, mas não resistiu aos ferimentos, tendo acabado por morrer já na unidade hospitalar. A mãe e a irmã também foram transportadas para Coimbra, tendo dado entrada no serviço de urgências dos Hospitais da Universidade (Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra) em estado grave, tendo sido submetidas a intervenções cirúrgicas. Os dois ocupantes do outro automóvel também foram transportados para a mesma unidade hospitalar, mas em estado estabilizado, apesar de também terem sofrido ferimentos considerados graves.

Gonçalo Costa estudava em Oiã e integrava o Agrupamento de Escuteiros e a catequese local. Era atleta do Águas Boas, clube de Oliveira do Bairro, desde os seis anos de idade. “Sempre divertido, sempre com um sorriso na cara, amigo de todos, envergou a nossa camisola com orgulho”, refere o clube na sua página no Facebook, lamentando a sua morte e desejando que a mãe a irmã “melhorem o seu estado de saúde”.

No local do acidente estiveram os #Bombeiros Voluntários da Pampilhosa do Botão e da Mealhada, bem como o Instituto Nacional de Emergência e Reanimação (INEM) com duas viaturas médicas de emergência e reanimação (VMER) e uma ambulância de Suporte Imediato de Vida (SIV). As circunstâncias em que ocorreu a brutal colisão estão a ser investigadas pelo Núcleo de Investigação a Acidentes Rodoviários da Guarda Nacional Republicana (GNR). #Acidente Rodoviário