A #Polícia Judiciária já está a investigar o caso do bebé recém-nascido que foi encontrado morto numa mata, em Santarém.

A mãe da criança já terá sido identificada por uma tia da mulher, conforme avança o Correio da Manhã, mas está em paradeiro desconhecido.

O corpo do bebé com apenas quatro dias de vida foi encontrado numa zona de mata da cidade de Santarém e terá sido deixado no local pela própria mãe, identificada como uma jovem de 22 anos com mais dois filhos menores. 

Rafaela, como é identificada a mãe do bebé, terá desaparecido após ter levado o corpo do recém-nascido para aquele local, onde foi encontrado no sábado passado.

Tia denunciou caso da mãe do bebé às autoridades

Foi a tia de Rafaela, Célia Arroteia, que denunciou a situação à PSP de Santarém, conforme revela o Correio da Manhã.

Esta mesma testemunha ainda conta ao jornal que o bebé terá visto a luz do dia numa cave de uma casa abandonada numa avenida de Santarém, próximo da habitação de Rafaela.

Célia Arroteia também relata ao CM que viu a mãe do bebé "usar uma cinta apertada para esconder a barriga" por se tratar, alegadamente, de um filho "fruto de uma relação extraconjugal". "Mas toda a gente sabia que estava grávida", refere a tia da mulher.

A situação estaria reportada à Comissão de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Santarém desde há três meses e este organismo estaria a seguir a mulher e os seus filhos menores.

Polícia procura a mãe e investiga causas da morte

O corpo do bebé foi transportado para a morgue do Hospital de Santarém. Só depois da autópsia se ficará a saber qual foi a verdadeira causa de morte do recém-nascido.

A Polícia Judiciária já está a investigar o caso, concentrando-se sobretudo, nesta fase, na busca pela mãe da criança que continua em paradeiro incerto. A mulher terá desaparecido no sábado passado, logo depois de ter alegadamente abandonado a criança na mata.

É mais um triste episódio a envolver crianças de tão tenra idade, depois de ainda há pouco tempo, um bebé de dois anos ter morrido em circunstâncias suspeitas, em França, num caso que envolve dois emigrantes portugueses. #Crime