Margarida de Sousa Uva, mulher do antigo presidente da Comissão Europeia e atual Chairman do banco de investimento norte-americano da Goldman Sachs,  morreu esta quinta feira, 18 de agosto, em casa, vítima de doença oncológica, contra a qual lutava desde 2014, disse à agência Lusa fonte próxima da família. Em entrevista à Flash Vidas, em maio de 2015, após acabar os tratamentos de quimioterapia, Margarida confessava ter esperança, "mas acima de tudo uma enorme vontade de viver". A família conseguiu manter o seu estado de saúde na esfera familiar e Margarida até esteve ao lado do marido quando este foi condecorado pelo Presidente da República Cavaco Silva, em novembro de 2014, conseguindo disfarçar o seu estado debilitado, causado pelos tratamentos.

Casada desde 1980 com José Manuel Durão Barroso, com quem tem três filhos, Margarida dividia-se entre a carreira política do marido, a família e o cargo de vice-presidente da Associação Portuguesa de Crianças Desaparecidas.

Em 2014, Margarida de Sousa Uva foi operada a um #Cancro do útero, fora de Portugal, por opção, para assim conseguir garantir a privacidade que o momento exigia para si e para a sua família. Fez a quimioterapia e reapareceu em público um ano depois, em 2015. Na altura  surgiram especulações quanto ao seu estado de saúde, quando Durão Barroso assistiu sozinho à cerimónia de canonização dos Papas, em abril de 2015. Mas o facto da mulher de Durão Barroso sofrer de fibromialgia há vários anos, ajudou a não levantar qualquer suspeita.

Margarida viria a falar da sua doença há pouco mais de um ano, quando apareceu num lançamento de um livro com cabelo curto. Citada por várias revistas de sociedade, afirmou "Ainda não está tudo ultrapassado, mas se Deus quiser..."

O primeiro-ministro António Costa já enviou as condolências a Durão Barroso pela morte de Margarida de Sousa Uva, segundo informou à agência Lusa fonte do gabinete do líder do Governo. Também o Partido Social Democrata (PSD) apresentou as suas condolências à família. #Óbito #Personalidades