O advogado de Rúben Cavaco afirmou ao Correio da Manhã (CM) que se sente revoltado com a “traição” levada a cabo pela RTP. O jovem, brutalmente agredido por dois filhos do embaixador do Iraque em Portugal, saiu há poucos dias do hospital, onde esteve entre a vida e a morte. O rapaz está ainda muito debilitado e a recuperar, pelo que o seu advogado deixou claro que a estação televisiva poderia fazer o seu trabalho e falar com a mãe mas que “qualquer conversa com o Rúben estava fora de questão”. Contudo, o que aconteceu foi que a RTP aproveitou-se da ausência do advogado e da “bondade da mãe”, acabando por falar com ele, gravar a conversa e emiti-la publicamente.

Santana Leonardo disse ainda ao CM que a RTP garantiu, “sob compromisso de honra”, que não falaria com Rúben Cavaco, respeitando assim o seu estado debilitado. Todavia, essa promessa acabou numa “grande traição”, declarou o advogado, acrescentando que este desrespeito foi “uma vergonha”. Ainda ligou para a RTP para tentar travar que passassem a reportagem, mas ninguém lhe deu ouvidos e a mesma acabou por ir ‘para o ar’.

Rúben Cavaco não está ainda em condições de prestar declarações acerca do que se passou em Ponte de Sor, considera o advogado, sublinhando desde logo que o caso está em “segredo de justiça”. Segundo noticia o CM, a mãe da vítima, Vilma Boto, disse que não estava a par do referido compromisso entre Santana Leonardo (advogado de Rúben) e o canal televisivo, razão que a levou a permitir que os jornalistas falassem com o filho.

A RTP foi questionada pelo CM acerca do que se passou e emitiu o seu esclarecimento. O canal público disse que tanto a mãe como o próprio Rúben concordaram e permitiram que a conversa acontecesse. A estação televisiva acrescentou ainda que “protegeu o jovem e não expôs o seu estado físico”, realçando que obter o seu testemunho era de enorme relevância, uma vez que Rúben Cavaco faz parte de um processo mediático e está no centro de uma discussão diplomática que envolve dois países. #Violência #Imprensa