O cerco ao homem mais procurado de Portugal continua. Desaparecido já há uma semana, as autoridades sempre pensaram que o suspeito das mortes em Aguiar da Beira estivesse já em Salamanca, Espanha. No último domingo, 16 de Outubro, os alarmes voltaram a disparar em Portugal, na região de Trás-os-Montes, depois de ter sido avistado o carro que o suspeito teria roubado em Moldes (Arouca). Já hoje, as autoridades montaram um cerco policial na aldeia de Carro Queimado depois do alerta de um morador.

No passado domingo, Pedro Dias, ou “Piloto”, nome pelo qual é mais conhecido, terá sido avistado na zona norte do país. De acordo com os meios de comunicação social portugueses, o alegado suspeito das mortes de um militar da #GNR e de um civil terá entrado numa casa e sequestrado um casal. A senhora seria a inquilina da habitação, a quem depois lhes roubou a viatura.

Segundo o Jornal de Notícias, Pedro Dias “tentou asfixiar com uma almofada a inquilina da casa que escolheu como esconderijo”, acrescentando ainda que “só a coragem da mulher, que resistiu ferozmente, atacando o homicida, e o aparecimento súbito de um reformado, que, da casa ao lado, ouviu gritos, levaram o fugitivo a bater em retirada, deixando ambos vivos”.

Depois de uma fuga, a viatura roubada foi encontrada ontem, segunda-feira, 17 de Outubro, próximo de Vila Real. A viatura terá sido deixada junto a um depósito de resina e, depois de ter sido analisada pela #Polícia Judiciária, sabe-se agora que o suspeito poderá estar ferido, uma vez que encontraram no interior do automóvel umas calças com sangue, provavelmente de Pedro Dias.

Esta terça-feira, 18 de Outubro, as buscas prosseguem em Carro Queimado (Vila Real), onde, hoje ao nascer do dia, uma moradora terá dado um alerta às autoridades.

Segundo escreve o JN, “uma mulher estranhou a agitação dos cães, ao raiar do dia, que ladravam com insistência e alertou as autoridades”.

À CMTV, uma moradora de Carro Queimado terá demonstrado o seu receio ao afirmar: “Estamos com medo. Ia visitar a minha sobrinha noutra povoação, mas já não vou. Vou-me fechar em casa, não venho mais para a rua”, escreve o site do Correio da Manhã. #Crime