Morreu mais um militar da GNR durante o exercício das suas funções. Um outro militar acabou por ficar ferido nesta tentativa de assalto. Tudo terá acontecido nesta madrugada de terça-feira, 11 de Outubro, em Aguiar da Beira. Os suspeitos, que ao que tudo indica serão três, continuam em fuga.

Estes dois patrulheiros, que constituíam uma patrulha da GNR de Aguiar da Beira, foram chamados ao local com o alerta de uma tentativa de assalto. Ao chegar junto da Estância Termal das Caldas da Cavaca, os dois militares terão encontrado uma viatura abandonada sobre a qual pediram mais indicações, até terem sido surpreendidos pelos suspeitos.

Segundo as últimas informações, um dos militares terá sido amarrado a uma árvore, tendo conseguido soltar-se algum tempo depois, tendo sido ele próprio a dar o alerta às autoridades. Este militar encontra-se ferido com gravidade e foi transportado para o Hospital de Viseu, depois de ter sido atingido nas costas.

Quanto ao outro agente, terá sido encontrado alguns minutos mais tarde na bagageira do carro de patrulha, viatura em que os suspeitos fugiram em direcção a Viseu. Este agente foi declarado como morto no local, não resistindo assim aos ferimentos. Terá sido assassinado com dois tiros na cabeça.

Segundo escreve o Observador, o militar que acabou por perder a vida “foi encontrado na bagageira da viatura de patrulha a cinco quilómetros do primeiro local, pelas 7h00”.

As informações mais recentes dão conta de que as vítimas têm entre os 30 e os 40 anos e que o GNR que acabou por falecer se chamava Carlos Caetano.

De acordo com as últimas informações, poderão ser três os suspeitos do assalto que permanecem ainda em fuga. Contudo, e segundo o oficial responsável pela ocorrência dizer ser prematuro avançar com essa informação, segundo escreve o Diário de Notícias.

Neste momento, cerca de 100 militares estão no terreno numa verdadeira caça ao homem, numa “operação de grande envergadura no distrito da Guarda, que se estende aos distritos limítrofes e a todo o território nacional”, escreve o Diário de Notícias. #Crime #Polícia