Pedro João Dias, o homem com 44 anos de idade, natural de Arouca, que na passada terça-feira (11 de outubro) em Aguiar da Beira, terá baleado mortalmente um civil e um militar da Guarda Nacional Republicana (GNR), ferindo ainda uma mulher civil e mais dois militares da #GNR, continua ainda em fuga e com paradeiro incerto. Apesar de ter alegadamente cometido tal chacina, ele é no entanto descrito pelos vizinhos como sendo um “bom rapaz”.

Onde andará Pedro Dias? Essa é uma pergunta que continua a preocupar as autoridades portuguesas, que continuam ainda sem respostas.

Segundo a #Polícia, ele poderá estar mesmo a receber ajuda de terceiros.

Publicidade
Publicidade

Além disso, o homem mais procurado de Portugal tem a vantagem de conhecer bem o território por onde estará a mover-se.

Na edição de ontem (13 de Outubro) do jornal espanhol “Salamanca 24” divulgaram a possibilidade de o alegado homicida de Aguiar da Beira já se encontrar em solo espanhol.

Já é do conhecimento público que ele é piloto de aviões comerciais, que teve treino militar na África do Sul e que se encontra preparado para este tipo de situações. Além de ser considerado muito perigoso e de estar fortemente armado.

E pelo facto de ele ter habilitações para pilotar aviões comerciais, todos os aeródromos estão a ser minuciosamente vigiados, uma vez que é grande a possibilidade de o suspeito tentar escapar por via aérea.

Entretanto, na quarta-feira (12 de Outubro), a GNR decidiu desmobilizar o dispositivo policial na zona de São Pedro do Sul, onde esteve montada a caça ao homem.

Publicidade

Mas, de modo a assegurar a segurança de toda a população, as acções de patrulhamento naquela localidade serão mantidas.

O funeral do militar da GNR abatido a tiro realizou-se ontem debaixo de uma grande emoção, contando com a presença da Ministra da Administração Interna. Foi ainda lida uma mensagem do bispo da GNR durante as cerimónias fúnebres, que realçava que os militares não recebem a ajuda necessária que precisavam.

Relativamente ao funeral do civil, que também foi morto pouco tempo depois do militar da GNR, será realizado hoje pelas 17 horas na Igreja Paroquial de Palhais. A mulher do civil foi igualmente baleada na mesma altura, encontrando-se hospitalizada com prognóstico muito reservado.

A Polícia Judiciária(PJ) esteve durante o dia de ontem na casa dos pais do suspeito, tendo cessado as buscas somente ao fim do dia. Os inspectores da PJ saíram do local com um saco e duas caixas de cartão. E, ao mesmo tempo, decorreram buscas na quinta que pertence ao presumível homicida, na Várzea, e que se estenderam ainda a casas de familiares e amigos onde o homem se poderá ter escondido. #Crime