A polémica está instaurada em #arcozelo, Ponte de Lima, com a construção de uma central de #betuminoso no centro da freguesia, contra a vontade dos seus habitantes. Apesar da obra de construção das instalações para a indústria de betuminoso já ter sido embargada pela Câmara Municipal de Ponte de Lima, esta teve início em Setembro passado e continua a avançar até à data. Vítor Mendes, presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima, já declarou que está a tomar todas a providências necessárias neste caso com, a entrada de um processo em tribunal, devido ao início das obras sem a autorização de carácter obrigatório (emitida pelo município) que a construtora não possui.

A indignação dos populares da freguesia vem aumentando de dia para dia, ao verem as obras continuarem e nada ser feito, pelo menos a olhos vistos, por parte dos representantes do povo, quer do Presidente de Junta de Freguesia de Arcozelo, João Barreto, quer do Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima. Os arcozelenses consideram que o embargo da obra por parte da câmara é insuficiente, visto as obras continuarem.

Apesar da diligências já tomadas, a população considera que se podia fazer ainda mais, considerando assim não ter o apoio necessário dos representantes locais. Por este motivo, surgiu um movimento para esta causa. Este movimento já conta com quase 500 gostos na página de Facebook designada "Arcozelo está de Luto", @arcozeloestadeluto. É através desta página de Facebook que os arcozelenses comunicam as iniciativas e avanços desta situação.

Através deste movimento, a população já conseguiu apresentar queixa ao Ministério Público e angariar cerca de 2000 assinaturas para um abaixo-assinado contra a construção desta central de betuminoso.

Apesar do empresário e da autarquia terem informado que a indústria teria baixos níveis de poluição, comparado-os à poluição de uma panificação ou carpintaria, a população não concorda e receia que o ambiente em redor da indústria se torne prejudicial para a agricultura e para o meio ambiente envolvente.

Iniciativas dos populares

De facto, os populares não baixam os braços e tentam a todo o custo evitar a construção da "máquina poluente". Exemplo disso foi o passado dia 13 de novembro, com mais de cem carros em caravana, a deslocarem-se em marcha lenta de Arcozelo até ao centro de Ponte de Lima, exibindo bandeiras negras, e gritando "Arcozelo está de luto. Arcozelo está na luta", em forma de protesto. Esta iniciativa, como seria de esperar, causou engarrafamento de trânsito no centro da vila, atraindo a atenção de vários populares.

Este movimento já tem outra iniciativa marcada. Desta vez para segunda-feira, 21 de novembro, às 14:00 horas, incentivando a população a estar presente na reunião pública da Câmara Municipal de Ponte de Lima. #protesto