#Pedro Dias foi o homem mais procurado de Portugal desde o dia 11 de outubro, dia em que terá alegadamente matado um militar da GNR, agredido também o colega deste e, durante a fuga, terá baleado um casal que viajava de carro. O homem teve morte imediata e a mulher foi internada, tendo também ficado ferida. Tudo isto se passou em Aguiar da Beira, distrito da Guarda. Atualmente, julgava-se até que o fugitivo já tivesse atravessado a fronteira e fugido para o país vizinho, Espanha.

Muito se especulou sobre o paradeiro de Pedro Dias, e esta noite ele entregou-se voluntariamente à #Polícia Judiciária de Arouca, alegando a sua inocência. A detenção foi filmada em exclusivo pela RTP a pedido do próprio homem, conhecido por "piloto", uma vez que teria receio do confronto com a polícia no momento da sua rendição.

Não se sabe ainda como, mas o suspeito terá feito chegar um bilhete à própria família dizendo que seria hoje o dia em que se iria entregar às autoridades, e quando o fez, por volta das 19 horas, afirmou à RTP que "tudo não passava de um mal-entendido" e que não terá cometido os crimes. Diz ainda que "poderia ter fugido a vida toda".

A entrega foi combinada entre os advogados do suspeito e o diretor nacional da PJ, Almeida Rodrigues.

A verdade é que Pedro Dias colocou o "país a mexer" e chegaram até a existir possíveis avistamentos na Galiza, Espanha. Durante o tempo que "o piloto" andou "a monte" foi emitido um mandato de busca europeu quando, afinal, o mesmo acabou por entregar-se em Arouca.

A polémica em torno deste caso foi tanta, que chegou a colocar-se em causa a coordenação entre forças da autoridade e até mesmo da ministra da #Justiça, Francisca Van Dunem. Este será um debate que poderá continuar, uma vez que Pedro Dias acabou por planear a sua própria entrega e ainda há muito para se perceber sobre o paradeiro deste homem durante estes 28 dias de fuga bem sucedida.

Acompanhe o desenrolar desta história na Blasting News pois ainda será um assunto com muito para revelar e muitas questões para desvendar.