Um jovem estudante, de 17 anos de idade, morreu num #Acidente ocorrido ao início da noite desta terça-feira, 10 de Janeiro. O adolescente viajava com o pai num automóvel ligeiro de passageiros que, por razões ainda desconhecidas, acabou por colidir, com grande violência, numa carrinha de caixa aberta, onde viajavam duas pessoas. A tragédia aconteceu na estrada nacional que liga Bragança a Vimioso, junto à localidade de Outeiro. As causas do acidente estão a ser apuradas pelo Núcleo de Investigação a Acidentes Rodoviários da Guarda Nacional Republicana.

O violento acidente ocorreu por cerca das 19 horas desta terça-feira, 10 de Janeiro, na Estrada Nacional (EN) 219, próximo da localidade de Outeiro.

Publicidade
Publicidade

Pai e filho viajavam num automóvel ligeiro de passageiros que acabou por sair da sua faixa de rodagem, atravessando a estrada, chocando com grande violência contra uma carrinha de caixa aberta, que circulava em direcção oposta, e onde seguiam dois homens, com cerca de 40 anos. O adolescente, de 17 anos, não resistiu aos ferimentos, acabando por morrer. O pai, bem como os dois ocupantes da carrinha, que regressavam às suas residências após um dia de trabalho, sofreram ferimentos, tendo sido transportados a unidade hospitalar. Um deles, um cidadão de nacionalidade brasileira, de 38 anos, foi considerado ferido grave. Há, ainda, o registo de envolvimento de uma terceira viatura ligeira, mas os seus dois ocupantes sofreram apenas ferimentos considerados ligeiros.

Segundo relatou aos jornalistas, o segundo comandante da corporação de #Bombeiros voluntários de Bragança, tudo indica que o carro onde seguiam o pai e filho circulava no sentido Bragança – Vimioso, enquanto a carrinha seguia em direcção oposta.

Publicidade

Contudo, após o choque, ambos os veículos ficaram imobilizados em sentido inverso, explicou Carlos Martins, adiantando que foi necessário recorrer a manobras de desencarceramento para remover as vítimas dos destroços dos dois veículos. Segundo elementos recolhidos pelas autoridades, a vítima mortal regressava a casa, em Argozelo, depois de o pai o ter ido buscar à escola a Bragança.