Na tarde de 3 de agosto de 2016 deflagrou um #Incêndio no parque de estacionamento do Festival Andanças, que estava a decorrer junto à barragem de Póvoa e Meadas, concelho de Castelo de Vide, distrito de Portalegre. Por precaução foram evacuadas entre quatro a cinco mil pessoas que se encontravam no evento. 458 automóveis arderam no parque de estacionamento do festival.

Publicidade

Na altura, António Pita, presidente da Câmara Municipal de Castelo de Vide, em declarações aos jornalistas, referiu que a pronta resposta dos meios de combate e da organização do festival conseguiu evitar uma catástrofe e pôr a salvo os milhares de pessoas que participavam no evento..

Publicidade

No dia do incêndio a organização do festival adiantou que a organização tinha seguro contra danos e estava a desenvolver esforços para solucionar a situação. As causas do incêndio foram investigadas pela GNR e pela Polícia Judiciária.

A Procuradoria-Geral da República informou há poucos dias que o caso do incidente ocorrido em agosto do ano passado foi arquivado pelo Ministério Público.

Segundo a nota oficial da Procuradoria da Comarca de Portalegre, “não foi possível apurar quaisquer indícios que permitissem concluir que o fogo tivesse sido ateado de forma deliberada ou intencional”, bem como “não foi possível recolher indícios que permitissem apurar as circunstâncias concretas em que o mesmo ocorreu, nem a eventual responsabilidade negligente de alguém”.

É de referir que a Polícia Judiciária descartou logo no início de investigação a hipótese de mão criminosa..

Publicidade

Pode ler-se ainda na nota que “o incêndio deflagrou numa zona utilizada para estacionamento, tendo ardido quase dois hectares de pasto e registados estragos em 458 veículos”, adiantado ainda que “concluída a investigação, o Ministério Públio proferiu despacho de arquivamento”.

Segundo informação divulgada pela Associação Portuguesa de Seguradores, cerca de uma centena de automóveis tinham cobertura de incêndio e poderão receber um total de um milhão de euros de indemnizações por parte das seguradoras. #Justiça #Festivais