Acabaram da pior maneira as sucessivas discussões entre um homem e o namorado da sua filha. Na noite deste sábado, 4 de Fevereiro, o indivíduo terá desferido uma facada no peito do jovem, tirando-lhe a vida. A tragédia aconteceu quando a filha do presumível agressor está grávida, prestes a ser mãe de uma menina, filha da vitima. O homem foi detido pelos agentes policiais e o homicídio encontra-se a ser investigado pela Policia Judiciária.

O alegado homicida e a vítima partilhavam a mesma habitação, uma casa térrea na rua da Esperança, no Bairro do Condado, na periferia da cidade de Évora. A mulher do agressor e a sua filha, namorada da vítima, têm estado, nos últimos tempos, a viver na cidade de Évora, devido ao facto de a rapariga estar em final de gravidez.

Publicidade
Publicidade

Por cerca das 22 horas deste sábado, 4 de Fevereiro, o rapaz de 23 anos, natural da zona Centro do país, estava em casa de um amigo quando foi atraído pelo “sogro” a casa. Quando o jovem chegou a porta de casa, terá sido agredido, de forma traiçoeira, pelo dono da casa, com uma arma branca, desferindo-lhe um golpe na zona do peito. A vítima acabaria por cair inanimado no chão.

Depois, o homem, de 49 anos, atirou a arma do #Crime para uma ribeira que passa nas proximidades da residência. No entanto, aquela viria a ser recuperada pelos agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP) que deteve o presumível homicida, que posteriormente o entregaram aos inspectores do Departamento de Investigação Criminal de Setúbal da #Polícia Judiciária, que agora têm a competência de investigar as causas e em que circunstância ocorreu o crime.

Publicidade

O suspeito deverá ser presente, nesta segunda-feira, ao juiz de instrução criminal, que lhe aplicará as medidas de coação julgadas convenientes. A vítima foi socorrida pelos operacionais do Corpo de #Bombeiros Voluntários de Évora, auxiliados pelos elementos da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), mas, apesar da realização de manobras de reanimação o óbito foi declarado no local, tendo o cadáver sido removido e transportado para o Gabinete Médico-Legal e Forense de Évora.