O jovem de 24 anos que foi detido nesta sexta-feira, 10 de Março, suspeito de #Rapto de Mariana Leirinha, de 13 anos, apresentar um perfil típico de “predador sexual”. O rapaz terá aliciado a adolescente através das redes sociais, mas a #Polícia Judiciária acredita que não será a única vítima do jovem. A menor, residente de uma aldeia do concelho de Ponte de Lima, foi encontrada pelos inspectores da Judiciária na zona de Ílhavo, na companhia do jovem que está agora indiciado da prática de crime de rapto agravado.

O director do Departamento de Investigação Criminal de Braga da Polícia Judiciária afirmou aos jornalistas que o suspeito, sem ocupação profissional, apresenta um “perfil típico de um predador sexual”, com recurso às redes sociais através da internet. Os inspectores da Polícia Judiciária já identificaram uma “meia dúzia” de casos semelhantes, com o envolvimento daquele mesmo suspeito. No entanto, colocam a hipótese de existirem outras vítimas daquele predador sexual. O rapaz está indiciado pela prática de um crime de rapto agravado, mas podem lhe ser imputados outros crimes. O detido que foi levado para as instalações da Polícia Judiciária de Braga será presente ao juiz de instrução criminal na manhã deste sábado.

Mariana Leirinha estava dada como desaparecida desde o dia 3 de Março. A menina, residente na pequena aldeia de Beiral do Lima, no concelho de Ponte de Lima, embarcou, como habitualmente, o autocarro com destino à escola, mas não chegou a ir às aulas. À noite, os pais alertaram as autoridades para o desaparecimento da filha, tendo sido iniciadas várias operações no sentido de a localizarem. Nos dias seguintes, as autoridades chegaram a detectar o sinal de localização celular do telemóvel de Mariana foi identificado na zona de Aveiro.

Nesta quinta-feira, Mariana Leirinha terá comunicado com familiares e amigos através do Facebook, dando-lhes indicações sobre o seu paradeiro. No início da manhã de sexta-feira, os inspectores da Polícia Judiciária deslocaram-se a Vigia, no concelho de Vagos, onde encontraram a adolescente numa moradia desabitada, propriedade de familiares do jovem que estava na sua companhia e que acabou por ser detido. Tanto a menor como o suspeito foram levados para as instalações da Judiciária de Braga, onde foram interrogados. #Justiça