Segundo uma reportagem da Sábado publicada ontem (24 de Março) no site da revista, os reclusos mais perigosos que se encontram detidos em Portugal serão aproximadamente 59. Desses detidos, 45 encontram-se em Monsanto, 10 estão na secção de segurança do Linhó e quatro na ala de segurança de Paços de Ferreira. Encontram-se quase todos obviamente detidos num estabelecimento prisional considerado de alta segurança, mais especificamente na cadeia de Monsanto, em Lisboa.

Publicidade

Todos eles assassinaram polícias, sequestraram, planearam e executaram grandes assaltos a instituições bancárias e até tiveram alguma participação em actos terroristas, tal como o marroquino que agora é suspeito de terrorismo..

Publicidade

Alguns deles mataram polícias, tal como o luso-brasileiro Marcus Fernandes, condenado a 25 anos de cadeia pelo homicídio de dois polícias da Amadora. Sempre que tem que ir a tribunal, vai escoltado por duas carrinhas e seis guardas do Grupo de Intervenção dos Serviços Prisionais (GISP). O luso-brasileiro aguarda julgamentos e recursos de cerca de 15 processos, sendo mais de metade relacionados apenas com problemas tidos nos estabelecimentos prisionais.

Outros lideraram sequestros e planearam os maiores assaltos a bancos; exemplo disso é o espanhol Jaime Gimenez Arbe, conhecido como "El Solitário", um assaltante de bancos que não tem uma relação muito afável com os guardas e também matou dois polícias da Guardia Civil durante uma fuga, pelo que foi condenado a 47 anos de prisão por esses homicídios.

Também um recluso de nome Amadeu Santos foi detido este ano por alegadamente ser o líder de uma rede de tráfico de droga, tendo feito chegar a Lisboa um quilo de cocaína. Mas esse detido terá sido o autor do que foi considerado como "o assalto do século"; foi assaltada uma carrinha de transporte de valores em Loulé, em que foram alegadamente roubados 183 mil contos.

Publicidade

Chegou a ser julgado pelo #Crime, mas acabou absolvido, pois o seu filho não apareceu no julgamento para repetir o que tinha dito em tribunal quando foi condenado, anos antes.

O tipo de crime cometido, o mau comportamento nas cadeias e ainda a sua propensão para a fuga são as principais razões que levam os reclusos a serem transferidos para a cadeia de alta segurança de Monsanto, ou para as secções de segurança de Linhó e de Paços de Ferreira.

Já tentaram fugir da cadeia várias vezes e atiraram até urina e fezes para cima dos guardas prisionais. E passam 22 horas por dia sozinhos numa cela, andam sempre com dois guardas e são permanentemente vigiados por dezenas de câmaras. #Justiça #Polícia