Há algum tempo que uma mulher, de 76 anos, era transportada mensalmente pelo companheiro, num carro de mão, para ir levantar a reforma e adquirir medicação na farmácia. Esta quarta-feira, 19 de Abril, a situação foi denunciada tendo os serviços sociais municipais actuado. Já hoje, quinta-feira, a idosa foi encaminhada para o hospital para ser observada e receber os cuidados médicos necessários.

Publicidade

O caso #Insólito passou-se em Elvas, no distrito de Portalegre. Amália Marques vive com o companheiro, Florindo Grilo, de 59, numa habitação em Alpedreiras de Cima, a cerca de dois quilómetros e meio do centro da cidade alentejana. Esta quarta-feira, como tem sido habitual nos últimos meses, o homem transportou a mulher num carro de mão até ao centro histórico de Elvas para levantar o vale de correio relativo à sua reforma.

Publicidade

Depois, o casal desloca-se a uma farmácia para comprar a medicação necessária para o respectivo mês. Devido à mobilidade reduzida da mulher, com imensas dificuldades em andar a pé, o homem recorre a um carro de mão para a transportar.

Contudo, desta vez, alguns populares que viram o casal junto ao Estádio Municipal de Atletismo, acabaram por denunciar a situação junto da redacção da Rádio Elvas. Face ao sucedido uma patrulha da Polícia de Segurança Pública deslocou-se ao local, tendo efectuado diligências com o objectivo de encontrar uma resolução daquele caso insólito. Segundo aquela estação radiofónica, o presidente da Câmara Municipal de Elvas, Nuno Mocinha, accionou os técnicos de acção social do município, referindo que a Assistente Social do Instituto da Segurança Social se recusou ir ao local..

Publicidade

Com o auxílio dos elementos do projecto “Ombro Amigo”, desenvolvido pelos Bombeiros Voluntários de Elvas junto de idosos em situação de isolamento, o casal foi transportado num veículo da corporação à sua residência. Uma habitação sem o mínimo de condições de habitabilidade, sendo notória a degradação e carência. Fernando Grilo confessou que vivem com algumas dificuldades, mas sem passar fome, até porque cultiva uma horta e criar alguns animais para sustento próprio.

Entretanto, nesta quinta-feira, os técnicos de Acção Social regressaram à Alpedreiras de Cima, tendo acabado de encaminhar Amália Marques ao Hospital de Santa Luzia (Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano) para ser observada e receber cuidados médicos. Segundo o Jornal de Notícias, fonte da autarquia elvense referiu que está disponível para prestar os auxílios necessários ao casal, mas reconhece que nem sempre as situações de carências chegam ao conhecimento dos respectivos serviços. #Casos Médicos