Eram 10h27 deste sábado, 13 de Maio, quando o #Papa Francisco canonizou os pastorinhos Jacinta e Francisco Marto. O momento aconteceu no Santuário de #Fátima, por ocasião das celebrações do centenário das Aparições da Cova da Iria. Os dois irmãos, que em 1917 afirmaram ter assistido à Aparição de Nossa Senhora, tornaram-se assim as primeiras crianças, não mártires, a serem santos na Igreja Católica. A canonização foi presenciada com muita emoção por milhares de peregrinos que encheram, por completo, o recinto do Santuário.

Antes da cerimónia de canonização, o Papa Francisco fez uma breve oração junto dos túmulos dos dois beatos, no interior da Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima.

Publicidade
Publicidade

Depois, no início da missa celebrada no altar do recinto do Santuário, o Bispo de Leiria-Fátima, D. António Marto, evocou o perfil dos dois pastorinhos, realçando a espiritualidade dos beatos e pedindo ao Santo Padre que os canonizasse. Para o prelado, os traços espirituais dos dois irmãos leva-os a serem "o espelho da luz de Deus".

Começando por afirmar que as suas crianças, naturais da pequena aldeia de Aljustrel, em Fátima, nasceram e cresceram no seio de uma família modesta e cristã, o Bispo relatou que foi entre os meses de Maio e Outubro de 1917 que os dois irmãos, juntamente com a prima Lúcia, foram visitados, em cada dia 13 – com excepção para Agosto que foi no dia 19 -, pela Senhora do Rosário. Por convite da Santíssima Virgem, viveram então entregues a Deus e aos Seus desígnios de misericórdia.

Publicidade

Já para o Papa Francisco, os novos santos da Igreja Católica, a quem Nossa Senhora fez com que adorassem Deus, são um exemplo. O Santo Padre referiu-se à mensagem de Lúcia para dizer que os três pastorinhos ficavam envolvidos num "manto de Luz que Deus Lhes dera", daí que considere que, para os peregrinos, Fátima é essencialmente esse manto de Luz. Diringindo-se aos milhares de fiéis que encheram o recinto do Santuário de Cova da Iria, o Papa Francisco desejou que vivam nessa esperança e agradeçam as bênçãos concedidas pelo Céu ao longo destes 100 anos.

De referir que o Santo Padre se deslocou a Fátima, não só para canonizar os novos santos Francisco e Jacinta, mas também para assistir, como peregrino da paz, às celebrações do centenário das Aparições de Nossa Senhora. Recebido com emoção por milhares de peregrinos – calcula-se que tenham estado cerca de um milhão em Fátima – Francisco foi o quarto Papa a pisar o Santuário de Cova da Iria, depois de Paulo VI (que o visitou em 1967), João Paulo II (que esteve em Fátima por três vezes: em 1982, em 1991 e 2000) e Bento XVI (em 2010, quando beatificou Francisco e Jacinta). #Religião