A manhã desta quarta-feira, 11 de Outubro, revelou-se trágica para dois homens, de 59 e 61 anos, na sequência de um #Acidente rodoviário ocorrido no Itinerário Complementar nº 1 (IC1), junto a Portela do Lobo, no concelho de Ourique, distrito de Beja. Tratou-se de uma colisão frontal entre dois veículos ligeiros de mercadorias, conduzidos por aqueles dois homens que acabaram por não sobreviver aos ferimentos. O trágico acidente ocorreu poucos minutos após as 7h30, no quilómetro 684,9 do IC1, considerado como um dos pontos negros de sinistralidade daquela via rodoviária. As causas do acidente estão a ser investigadas pelo Núcleo de Investigação de Acidentes de Viação da Guarda Nacional Republicana.

Publicidade
Publicidade

Segundo Mário Baptista, comandante dos #Bombeiros Voluntários de Ourique, o alerta foi dado às 7h48 desta quarta-feira, 11 de Outubro, e dava conta de uma colisão frontal entre duas carrinhas ligeiras de mercadorias, com dois feridos encarcerados. Quando os primeiros meios de socorro chegaram ao local, ao quilómetro 684,9 do IC1, na zona de Portela do Lobo, no sentido Norte/Sul, depararam-se com duas vítimas encarceradas. Tratavam-se dos condutores, e únicos ocupantes, das duas viaturas envolvidas no choque frontal. O comandante adiantou, ainda, que ambos os feridos se encontravam em paragem cardiorrespiratória.

Nas operações de socorro às vítimas foram accionados vários meios, tendo estado envolvidos mais de 30 operacionais, que foram auxiliados por cerca de uma dezena de veículos das corporações de bombeiros voluntários de Ourique e Almodôvar.

Publicidade

Foram accionados, ainda, uma ambulância de Suporte Imediato de Vida (SIV), afecta à unidade de saúde de Castro Verde, e um helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica (#INEM), com base em Faro. O óbito das vítimas acabaria por ser declarado no próprio local do acidente pela equipa médica do INEM. O trânsito automóvel esteve interrompido naquele troço do IC1 durante cerca de três horas, para que fossem realizadas as necessárias operações de socorro e de remoção dos veículos acidentados.

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Ourique confirmou, em declarações aos jornalistas, que o local onde ocorreu aquele violento e fatal acidente é considerado como um dos pontos negros do IC1. "Nos três últimos acidentes tivermos um ferido grave, um leve e cinco mortos", afirmou Mário Baptista.