Mário Alberto Nobre Lopes Soares, natural de Lisboa, completa este domingo 90 anos de idade. E para celebrar o momento, o histórico socialista não poupa esforços. Cerca de 250 convidados vão marcar presença num repasto que terá lugar no restaurante Espaço Tejo, da Feira Internacional de Lisboa (FIL), em Lisboa. Jorge Sampaio, ex-Presidente da República, António Costa, autarca lisboeta e secretário-geral do Partido Socialista, Francisco Pinto Balsemão, antigo primeiro-ministro e militante número 1 do Partido Social Democrata, Diogo Freitas, ex-ministro dos Negócios Estrangeiros e fundador do CDS, são algumas de várias personalidades da vida pública e política portuguesa que já confirmaram a sua presença no almoço.

Publicidade
Publicidade

Note-se que todos os secretários-gerais socialistas receberam convites, mas nem todos confirmaram a sua presença. António José Seguro, que recentemente foi derrotado por António Costa nas eleições directas para a liderança do PS, ainda não teceu qualquer comentário sobre se vai ou não juntar-se ao evento, enquanto António Guterres, ex-primeiro ministro e actualmente a desempenhar funções de Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados, apenas chegará à capital portuguesa durante a tarde de domingo. Mas nem por isso deixará de se encontrar com Mário Soares. "António Guterres fez muita questão nisso", sublinhou Vítor Ramalho, dirigente do PS e um dos promotores do almoço. De salientar ainda que além de todos os seus familiares, foram ainda convidados todos os antigos e actuais colaboradores do ex-Presidente da República e primeiro-ministro de Portugal.

Publicidade

O repasto, que contará com bacalhau com broa entre várias iguarias, terá, segundo Vitor Ramalho, "um carácter mais intimista" em comparação com aquele que assinalou os 80 anos de vida do co-fundador do PS. "Ainda não há qualquer alinhamento de possíveis discursos", revelou Ramalho, 66 anos, em declarações à Agência Lusa. Mário Soares foi o 17.º Presidente da República de Portugal, tendo desempenhado funções entre Março de 1986 e Março de 1996. Foi chefe do governo português por duas ocasiões: a primeira entre Julho de 1976 e Agosto de 1978 e a segunda entre Junho de 1983 e Novembro de 1985.