Dia histórico hoje na Madeira, em que se vota para conhecer o segundo presidente da história da Região Autónoma. São cerca de 7000 os militantes chamados a escolher entre seis candidatos. O principal favorito é Miguel Albuquerque, rival de Jardim na liderança do partido em 2012. Contudo, o próprio Jardim continua a ser um peso a ter em conta nesta escolha.


Albuquerque é licenciado em Direito, foi presidente da Câmara Municipal do Funchal e tem sido o principal rosto da oposição interna a Jardim. Albuquerque esteve muito perto de destronar o líder histórico, tendo aproveitado o descontentamento que se seguiu à aplicação de medidas de austeridade especiais na Madeira. Em causa estavam os desequilíbrios financeiros que Jardim nunca conseguiu explicar de uma forma credível, mesmo que dos indícios não se tenha deduzido nenhuma acusação de crime.


O outro candidato largamente conhecido é Jaime Ramos, sendo há décadas secretário-geral do PSD-Madeira e também líder parlamentar, geralmente considerado o "lugar-tenente" de Jardim. Segundo o Expresso, Ramos optou por uma campanha eleitoral muito discreta, tendo apenas dado duas entrevistas ao Jornal da Madeira. Não se sabe sequer o local e a hora onde irá votar.


Os restantes candidatos são menos conhecidos e se algum deles se tornar vencedor, constituirá uma surpresa. São eles Sérgio Marques (eurodeputado entre 1999 e 2009), Manuel António Correia (secretário regional do Ambiente), Miguel de Sousa (vice-presidente do Parlamento Regional) e João Cunha e Silva (vice-presidente do governo). Prevê-se, em todo o caso, que seja necessária uma segunda volta.