Os partidos da maioria reprovaram, na sessão parlamentar desta sexta-feira, os seis projectos que previam a recolocação dos quatro feriados retirados aos portugueses desde o ano de 2013. Estas propostas foram avançadas pelo PS, PCP, os Verdes, Bloco de Esquerda e pelo deputado centrista José Ribeiro e Castro. O célebre deputado, e antigo líder do CDS, propôs à Assembleia da República uma alteração no Código de Trabalho, que consequentemente reporia os feriados de 1 de Novembro, dia de Todos os Santos, e de 1 de Dezembro, Restauração da Independência de Portugal, mas acabou por ver a sua proposta ser chumbada pelos seus colegas de bancada e pelos sociais democratas.

Publicidade
Publicidade

Ao ver o chumbo da sua proposta, o centrista afirmou o seguinte: "Lamento que a maioria, ao não viabilizar a passagem na generalidade do projecto de lei que apresentei, como proposta aberta e com espírito construtivo, tenha desperdiçado esta oportunidade para clarificar a lei vigente como é indispensável".

Os socialista pretendiam a reposição dos feriados civis, o de 5 de Outubro, Implantação da República Portuguesa e o de 1 de Dezembro, como já António Costa havia declarado nas comemorações do 5 de Outubro. Os bloquistas e comunistas pretendiam a reposição total dos quatro feriados retirados. Já os Verdes apresentaram duas propostas em separado, uma das quais onde a terça-feira de Carnaval se transformaria em feriado obrigatório. Embora todas estas propostas tenham sido chumbadas pela maioria, o deputado Ribeiro e Castro votou a favor de todas elas, excepto as d'Os Verdes.

Publicidade

O antigo líder do Partido Popular, na sua declaração de voto, demonstrou uma enorme tristeza por assistir pela quarta vez nesta legislatura ao desperdício de mais uma oportunidade de repor os feriados, e afirmou ainda que "nem Portugal, nem os portugueses merecem ver assim tratado o mais alto dos seus dias nacionais".

Embora a revisão dos feriados esteja agendada apenas para o ano de 2017, os centristas prometeram executá-la em 2016. No entanto, na sessão parlamentar desta sexta-feira, mantiveram-se sempre ao lado dos colegas de coligação (PSD), chumbando as cinco propostas. #Governo #AnoNovo2016