O Partido Nacional Renovador agendou para dia 7 de Fevereiro de 2015 uma romaria ao Estabelecimento Prisional de Évora para a realização de um piquenique. De acordo com o comunicado publicado na página oficial do partido, com o título "Também nós vamos a Évora", este terá lugar às 12h00 e pretende levar ao ex-primeiro-ministro, José Sócrates, uma "lembrança".

José Sócrates, recorde-se, encontra-se detido preventivamente neste estabelecimento prisional desde Novembro de 2014, por ordem do juiz de Instrução Criminal Carlos Alexandre, indiciado dos crimes de branqueamento de capitais, fraude fiscal qualificada e corrupção.

Publicidade
Publicidade

O PNR, que festejou na altura efusivamente à saída do Tribunal de Instrução Criminal a detenção do ex-primeiro-ministro, considera a romaria dos muitos "notáveis" do regime a Évora, para visitar e manifestar solidariedade para com o ex-primeiro-ministro, um "espectáculo degradante de negação".

O PNR já organizou anteriormente concentrações semanais à porta da RTP para manifestar a sua indignação, aquando da contratação de José Sócrates por parte desta estação de televisão para um espaço de comentário semanal sobre a actualidade. Dirigentes, militantes e simpatizantes do partido foram presença assídua aos domingos, dia a que este programa ia para o ar. Recorde-se que José Sócrates, depois da sua demissão do cargo de primeiro-ministro, foi viver para França onde, semanas mais tarde, viria a frequentar um curso de pós-graduação em Filosofia, viajando entre Lisboa e a cidade de Paris semanalmente, para marcar presença neste programa.

Publicidade

O PNR nunca lhe perdoaria aquilo que considerou ser uma traição à pátria: o pedido de resgate financeiro consequente das suas "políticas inconsequentes", que arrastaram o país para a falência.

O Partido Nacional Renovador é um partido português de cariz ideológico nacionalista com mais de uma década de existência que vive sem qualquer apoio financeiro do Estado. Não obstante, o crescimento do partido tem sido uma constante, tendo registado, nas últimas eleições europeias, um aumento dos votos na ordem dos 15%.