Depois de muitos anos de especulação, é agora quase certo que o professor, jurista e comentador político Marcelo Rebelo de Sousa já decidiu avançar com uma candidatura às eleições presidenciais de 2016, tentando suceder a Cavaco Silva, também do PSD. Segundo fonte próxima na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, #Marcelo Rebelo de Sousa já terá dado indicação a um círculo muito restrito de pessoas de que irá suspender a sua carreira docente dentro de pouco tempo para depois anunciar que vai ser candidato às presidenciais.

O comentador da TVI já terá instruído alguns professores para continuarem a dar as suas cadeiras, instituindo a alteração do sistema de avaliação, para que os exames sejam feitos com consulta, como as suas "últimas medidas" antes de abandonar a carreira de professor.

Publicidade
Publicidade

Recentemente, e depois do Presidente da República Cavaco Silva ter traçado o perfil ideal para o seu sucessor, afirmando que teria de ter "alguma experiência no domínio da política externa e uma formação, capacidade e disponibilidade para analisar e acompanhar os dossiers relevantes para o país", Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que isso se aplicaria a si, dando como exemplo o momento de adesão de Portugal ao Euro, em 1998, e o facto de ter sido o primeiro vice-presidente do Partido Popular Europeu na altura da preparação para o alargamento da União Europeia a Leste.

No domingo, dia 22, num almoço de encerramento da academia de formação da JSD de Leiria, Marcelo defendeu a sua posição sobre qual será o estilo do próximo Presidente da República, mais interventivo e mediador se os futuros executivos não conseguirem maiorias absolutas.

Publicidade

"Vai ser chamado a ter um desempenho mais interventivo do que aconteceu no passado recente pela razão de que, olhando à volta, não se vê facilmente que haja maiorias absolutas e se isso acontecer obriga a equilíbrios muito complicados que o presidente deve ajudar a gerir", afirmou o comentador político.

Depois de Henrique Neto ser o primeiro candidato oficial a Belém, Marcelo Rebelo de Sousa poderá ser um dos próximos, não se sabendo qual será o timing escolhido para o anunciar.