Na sessão de encerramento das Jornadas "Portugal nas Tuas Mãos" da JSD, em Pombal, Maria Luís Albuquerque, Ministra das Finanças, lançou o desafio aos jovens portugueses: "Vocês que são jovens, multipliquem-se!". Esta afirmação tem sido alvo de diversas paródias nas redes sociais e tem causado alguma polémica. Numa altura, em que os jovens portugueses sofrem com a crise, desemprego e se veem forçados a emigrar, a repto da ministra não caiu bem.

Durante as jornadas, Maria Luís afirmou, segundo o Expresso, que o momento ideal para ter filhos pode ser aquele em que existam condições razoáveis para fazê-lo, pois eles criam-se e compensa. Rematou com "Independentemente dos benefícios e dos estímulos e do interesse que temos em estimular isso, vocês que são jovens, multipliquem-se", desafio que foi largamente aplaudido pelos jovens da JSD. De facto, e de acordo com dados da PORDATA, em 2013, Portugal era o país da União Europeia com a taxa de natalidade mais baixa contra países como a Irlanda, França, Reino Unido, Suécia e Luxemburgo que detêm as taxas de natalidade mais altas.

Em contrapartida, a PORDATA mostra-nos também que, em 2013, 128.108 portugueses emigraram. De acordo com o Observatório da Emigração, os principais países de destino são o Reino Unido (30.000), Suíça (20.000), França (18.000) e Alemanha (11.000), praticamente os mesmos onde a taxa de natalidade é mais alta. No Portuguese Emigration Factbook 2014, havia "em 2013, entre dois milhões e 2,300,000 portugueses emigrados", o que representa mais de 20% da população residente em Portugal. Com efeito, Portugal é o país da União Europeia com mais emigrantes, depois de Malta. Entre 2012 e 2013, a população residente em Portugal diminuiu 0,5%. Da leitura destes dados, talvez tenha ficado por dizer: "vocês que são jovens, multipliquem-se" mas em Portugal!

A pensar no futuro de Portugal, que tem as eleições à porta e mais de 2.000.000 de portugueses no estrangeiro, o governo criou um "Plano Estratégico para as Migrações", que inclui diversos programas. Entre eles, o programa "VEM" (Valorização do Empreendedorismo Emigrante), que pretende incentivar os emigrantes a voltar a Portugal. Destina-se a apoiar “projectos de criação do próprio posto de trabalho, ou empresa, por parte de emigrantes com intenção de regressar a Portugal e empreender” (in Público).

Também, através do programa "Reativar", o governo propõe-se financiar estágios de 6 meses aos portugueses com mais de 30 anos, que estão no estrangeiro, inscritos nos centros de emprego desses países, sem trabalho. Ainda dentro deste Plano Estratégico, serão apoiadas as contratações de portugueses emigrados altamente qualificados, como investigadores e doutorados. No que toca aos descendentes de emigrantes portugueses, o programa "Escolhas" pretende apoiá-los através da criação de associações ou ONGs de integração nos países de destino.

#Família