Sem papas na língua. António Capucho, fundador do PSD, comentou a coligação entre sociais-democratas e centristas, anunciada no passado sábado, dia 25 de abril, e não podia ter sido mais claro. Para o ex-ministro dos Assuntos Parlamentares, se a Aliança Democrática não sofrer uma derrota estrondosa, então, Passos Coelho pode continuar na liderança do PSD, pois tem o partido "endrominado". As declarações do antigo presidente da câmara de Cascais foram proferidas aos microfones da Antena 1, esta quarta-feira, dia 29. Recorde-se que António Capucho foi expulso do partido em fevereiro do ano passado, após 40 anos de militância.

Ainda que não seja apologista das políticas adoptadas pela Aliança Democrática, o ex-autarca reconhece que não seria fácil os dois partidos concorrerem separados porque, a acontecer, teriam ambos "uma derrota substancial".

Publicidade
Publicidade

Todavia, António Capucho considera que a vitória do PS nas legislativas está longe de estar garantida.

Sobre o futuro de Pedro Passos Coelho no PSD, o antigo conselheiro de estado acredita que uma eventual derrota dos sociais-democratas no sufrágio que vai ter lugar dentro de meses pode não ser sinónimo de abandono de Passos Coelho da liderança do partido. Isto porque, nas palavras de Capucho, uma "derrota honrosa" pode levar a que o líder do PSD tente manter-se na condução dos destinos do partido. O fundador do PSD garante: "Se não levar uma grande banhada, acredito que pode continuar [na liderança], porque tem o partido endrominado".

Na conversa com a Antena 1, Capucho pronunciou-se ainda sobre Rui Rio, antigo presidente da câmara do Porto e apontado como possível candidato à Presidência da República.

Publicidade

Na óptica de Capucho, o ex-autarca portuense é alternativa à actual liderança do PSD, bem como a líder do governo, mas entende Capucho que Rio não apresenta o "perfil ideal" para assumir as funções de chefe de estado.

Embora admita que possa votar em Rui Rio, caso este decida entrar na corrida a Belém, António Capucho revelou em quem votaria, com muito mais certeza. "Caso Manuela Ferreira Leite avance, aí não hesitaria nem por um segundo em votar numa mulher e naquela senhora", disse. #Eleições