Depois de conhecermos um pouco sobre Manuel Almeida na primeira parte desta entrevista, fomos saber o que pensa o candidato sobre os escândalos que têm abalado o país, e que medidas irá tomar caso seja eleito.

O que acha da prisão de José Sócrates?

Esse senhor, se cometeu fraude, teria de ser julgado, e isso não aconteceu. Há indivíduos que matam, violam, e estão cá fora. É preciso apurar primeiro o que aconteceu. Mas eu culpo-o por dar rendimentos mínimos e abonos a quem nunca trabalhou. É uma pura estupidez. Assim o país não anda, claro que não anda. Comigo seria diferente.

Mas quer cortar apoios?

Quero minimizar custos e dinheiros. Falo no abono porque não tem lógica nenhuma estar a dar dinheiro a quem nunca descontou.

E o que acha da dívida do Primeiro-Ministro à Segurança Social?

Ele sabia muito bem que tinha dívida. Não tinha que esperar ser notificado, se tem a dívida, tem de a ir pagar, mais nada. A justificação foi muito pobre.

Com tantos casos, como vê a política?

E uma desgraça. Até o Presidente da República está metido nos vistos gold, e não tenho problemas de o dizer. Estão todos juntos. Aviso já o Dr. Juiz Carlos Alexandre que comigo ao leme do país vai ter muito mais trabalho.

O que acha dos outros candidatos à presidência? Vai ser um combate de honra, ou um vale-tudo?

Vai ser um vale-tudo, obviamente. Eles vêm com a educação e preparados para manipular, enquanto eu sou um candidato genuíno. Quero dizer tudo nos meus debates, não falo nada que não seja meu, não leio papéis, nem levo tablets, não preciso que me escrevam o que tenho de dizer. Isso é uma forma de enganar as pessoas, e as pessoas gostam de ser enganadas por bem-falantes.

Fala muitas vezes dos bem-falantes. Sente-se discriminado?

Gozam comigo porque dizem que dou erros, mas toda a gente dá erros, nem ligo a isso, o que é mau é que andam sempre a inventar na escrita, e a escrita deveria ser só uma para todos. É uma estupidez utilizar palavras caras. Sou humilde, tenho de falar palavras que o povo entenda, não é andar com palavras que ninguém conhece.

É esse o seu maior trunfo, o facto de pertencer ao povo?

Eu sou o Ninja do povo, que protege o povo, que faz tudo pelo povo. Não é por mim, tive um AVC depois das autárquicas, porque fui humilhado, mas passou e estou mais forte que nunca. Hoje estou mais preparado para aguentar as humilhações, e cheio de energia para vencer. Até estou farto de dar ideias, e os partidos estão a apoderar-se delas. Mas se o povo os ouvir, percebe logo que aquilo é meu, O estado português deveria ter-me dado uma medalha, por levar Gaia além fronteiras. Ninguém conhecia Vila Nova de Gaia, até aparecer o Ninja político de Gaia.

Está a sofrer plágio político?

Estou a ser copiado de forma a colocarem-me questões, o que acho disto, o que acho daquilo, e eu percebo logo que me estão a copiar ideias. Eu até as dou, porque eu sou genuíno, e sou mais esperto que eles. Eu quero que o povo entenda que eu defendo causas prioritárias - respeito pelo cidadão, pelos idosos que são maltratados, respeito nas escolas, acabar com o bullying, quero mais acção na polícia, quero que a polícia resolva os problemas na hora, em vez de mandar toda a gente para os tribunais, que tente resolver, que faça uma triagem, como nas urgências. Por exemplo, se ameaçarem por telefone, faz-se queixa na polícia, e a polícia liga para o agressor e pergunta se quer continuar com aquilo ou se prefere ir a tribunal ou se gosta mais da cadeia. Eu tirei o curso de polícia na Inglaterra, e lá funciona assim, e é a maneira certa de se trabalhar.

Alguma mensagem final para os portugueses?

Eu faço um apelo aos portugueses. Sejam humildes, não alinhem com barbaridades, nem me tomem como palhaço, pois sou pai de filhos e nunca humilhei ninguém. Votem em mim como voto de protesto, para impedir Portugal de cair no desleixo. Esta é a minha acção, como português comum, e filho do povo, porque não há ninguém que diga mal de mim, só mesmo os que gozam na Internet. #Justiça #Carlos Alexandre