Morreu José Mariano Rebelo Pires Gago, ex-ministro da Ciência e Tecnologia nos governos de José  Sócrates e António Guterres. O Físico sofria de cancro, que tinha sido diagnosticado há dois anos. Mariano Gago, nascido em Lisboa, em 1948, teve uma carreira de sucesso na área das ciências. Licenciou-se em Engenharia Eletrotécnica, na Universidade Técnica de Lisboa, em 1971, cinco anos depois doutorou-se em Física, pela Faculdade de Ciências da Universidade de Paris. Entre 1971 e 1976 foi bolseiro no Instituto de Alta Cultura, no Laboratório de Física Nuclear e Altas Tecnologias na École Polytechnique, em Paris, e entre 1976 e 1978 na Organização Europeia de Pesquisa Nuclear.

Publicidade
Publicidade

 Colaborou no CERN durante vários anos em Genebra, no qual foi membro do concelho entre 1985 e 1990. Foi Presidente da Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica entre 1986 e 1989 e também Presidente do Laboratório de Instrumentação e Física experimental de Partículas. Além disso, teve uma carreira como docente académico no Instituto Superior Técnico, no qual foi agregado em 1979 e, mais tarde, Professor Catedrático.

Ao longo da sua carreira, o Professor Mariano Gago refletiu sobre a relação que existe entre o ensino e a pesquisa nas universidades. Em 1995, foi chamado por António Guterres para a posição de ministro da Ciência e Tecnologia, posição que continuou a ocupar até ao fim do segundo governo do Ex-Primeiro-ministro. Nestas funções, Mariano Gago empenhou-se em tornar o conhecimento científico e tecnológico mais acessível aos portugueses e criou, assim, em 1996, o Programa Ciência Viva, que tinha precisamente este propósito.

Publicidade

Entre 2005 e 2011, integrou os governos socialistas de José Sócrates, como ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. No desempenho destas funções, Mariano Gago foi responsável pelo encerramento de duas Universidades privadas:  a Universidade Moderna, em 2005, e a Universidade Independente, em 2007. O Físico tinha ainda algumas condecorações, tanto nacionais como internacionais, na qual se destaca a comenda na Ordem Militar de Santiago de Espada de Portugal, em 1992, e ainda a Grande-Cruz com Estrela da ordem de Mérito da Alemanha, em 2009.