Decorre hoje, 22 de Janeiro, o último dia de campanha nas ruas para a eleição Presidente da República. Os 10 candidatos terminam assim quase um mês de viagens e "beijinhos" de norte a sul do país, com o intuito de angariar votos no próximo domingo, dia 24 de Janeiro.

Muitas foram as sondagens realizadas ao longo deste tempo e estas sempre deram a liderança a Marcelo Rebelo de Sousa, enquanto que o segundo lugar foi mudando de mãos entre Sampaio da Nóvoa, candidato apoiado por personalidades ligadas ao PS, e Maria de Belém. Porém esta situação mudou durante esta última semana, aquando da decisão do Tribunal Constitucional em devolver aos políticos o direito das subvenções vitalícias, dando assim resposta a um processo iniciado por uma lista de deputados, cujos nomes até então não eram conhecidos pelo público.

Publicidade
Publicidade

Mas, na sequência desta decisão, os nomes que se encontravam na lista de deputados, ou pelo menos um dos nomes, veio ao conhecimento geral. Maria de Belém fazia parte da lista que exigiu o regresso de um benefício que lhes tinha sido retirado durante o anterior #Governo. Esta situação não agradou a muitos dos portugueses que a apoiavam e a sua popularidade começou a cair a pique, fazendo com que esta se afastasse muito de Sampaio da Nóvoa na luta pelo segundo lugar.

Assim, segundo algumas sondagens, Marcelo ganhará as #Eleições logo na primeira volta, com perto de 55% dos votos dos eleitores.

Mas durante o dia de hoje foi notícia uma pequena descida de Marcelo nas percentagens de voto. Se esta descida for muito elevada pode haver uma vitória de Marcelo Rebelo de Sousa com a necessidade de uma segunda volta, que terá de se realizar até ao 21º dia após o dia 24 deste mês.

Publicidade

Seria assim um possível confronto entre Marcelo e Nóvoa.

Também neste caso as sondagens prevêem uma vitória do professor Marcelo, ficando Sampaio da Nóvoa a mais de 20 pontos de distância do então eleito presidente da República.

A tomada de posse será realizada a 9 de Março, último dia de mandato do actual Presidente, Cavaco Silva, perante a Assembleia da República. #Eleições Presidenciais