Os municípios do Porto e de Vila Nova de Gaia recebem entre 31 de Julho e 2 de Agosto a etapa portuguesa do Campeonato do Mundo de Motonáutica. Este é um momento histórico pois, pela primeira vez, a prova chega ao Norte do país. O presidente da Câmara de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, num comunicado feito durante a apresentação do plano de trabalhos, frisou que "é nos momentos de crise e, consequentemente, de maiores dificuldades, que se encontram as oportunidades, que nos apercebemos das prioridades e essas prioridades marcam aquilo em que acreditamos". O autarca justifica assim o fato de o município de Gaia ter acreditado de forma muito clara neste evento, pelo que tudo fez para que o mesmo se concretizasse. Eduardo Vítor Rodrigues não se esquece das circunstâncias financeiras e económicas restritas, contudo acredita que a organização do Campeonato do Mundo de Motonáutica poderá ser uma mais-valia ambos os municípios.

A última vez que Portugal recebeu esta competição foi em 2011. Durante treze anos, Portimão (no Algarve) acolheu a prova que, agora, vai ocupar o rio Douro entre o edifício da Alfândega do Porto e a Ponte D. Luís. Em competição vão estar dezoito pilotos de catorze nacionalidades. Merece destaque o piloto Português Duarte Benavente, representante da F1 Atlantic Team, que desde 2009 tem participado nestes campeonatos. O piloto português confessou que é com grande alegria que volta a correr em Portugal, destaca a beleza destes municípios e diz que esta será uma prova a que, certamente, os pilotos participantes quererão voltar todos os anos. Benavente mostra-se seguro que este evento vai ser um grande sucesso, muito por causa do potencial de todas as pessoas envolvidas no mesmo.

O investimento em torno desta etapa ronda os quatrocentos e cinquenta mil euros. Agora falta saber como vai ser distribuído o valor pelos dois municípios. A corrida vai ser transmitida em quarenta e oito países e, por isso, um dos objetivos passa por convidar quem está em casa para conhecer ao vivo e a cores as cidades que o Douro separa mas que, desta vez, conseguiu unir.