O The Culture Trip, um espaço dedicado à cultura e ao lifestyle, deixou algumas recomendações para os amantes de um bom prato. Não é doce nem é um prato gourmet, mas destacou-se e faz hoje parte da ementa europeia obrigatória. Entre as 10 melhores iguarias da Europa está a francesinha, tão típica da região do Porto e que faz crescer água na boca. De acordo com a plataforma turística, esta sanduíche é "explosiva e volumosa", tratando-se de uma refeição de proporções épicas, constituída por camadas de queijo derretido, fiambre, salsicha fresca e outras variedades de carnes.

Para aqueles que querem saborear este prato, o site recomenda uma boa dose de batatas fritas a acompanhar e muito molho, a imagem de marca deste produto gastronómico. E quais são os melhores locais para apreciar uma boa francesinha? Café Santiago ou Restaurante Cufra Grill ao pé do mar são alguns dos locais de eleição e que melhor servem esta iguaria.

Enquanto prato típico da cidade do Porto, a Francesinha já tinha sido eleita em abril de 2011 uma das 10 melhores sanduíches do Mundo pelo Aol Travel, um megasite norte-americano dedicado a destinos turísticos e lazer. Mas, afinal, de onde surgiu este produto? São muitas as teorias. Uma delas transporta-nos para o contexto da Guerra Peninsular, defendendo que as tropas de Napoleão tinham por hábito comer uma sandes de pão de forma, "preenchidas" com uma grande variedade de carnes e queijo em abundância. Nesta altura ficava apenas a faltar o tradicional molho, que é hoje imprescindível e a imagem de marca da francesinha como a conhecemos. Quanto ao verdadeiro autor desta iguaria, hoje em dia parece não haver grandes dúvidas. Chama-se Daniel David Silva e era funcionário do Restaurante A Regaleira, nos anos 50. Trabalhou muito tempo em França e quando regressou a Portugal criou a francesinha, inspirada na tosta francesa "croque-monsieur".

As outras iguarias que integram esta lista do The Culture Trip são: a pizza em Nápoles (Itália); as Trufas da Ístria (Croácia); os vinhos da região de Langhe, em Itália; as waffles de Antuérpia (Bélgica); o chocolate belga; a cerveja alemã, nomeadamente da região de Munique; a paelha de valência; o Goulash de Budapeste e, por fim mas não menos apetitosos, os cachorros quentes de Reiquejavique, na Islândia. Por isso já sabe. Se for a algum destes locais, não deixe escapar a oportunidade e não saia de lá com água na boca. #Turismo #Culinária