Soube-se finalmente esta semana que o incêndio que ocorreu no mês passado, mais propriamente no dia 12 de Fevereiro, por volta das 13:45, na ala psiquiátrica do Hospital de Valongo, foi causado por um doente com vários problemas psíquicos que escondeu, perante todos os membros clínicos, um isqueiro debaixo da axila, tendo sido esse o material usado pelo doente para atear o fogo.

João Oliveira, que pertence ao Concelho de Administração do Centro Hospitalar do São João e também do Hospital de Valongo, prestou declarações à imprensa explicando que o incêndio foi originado por um doente mental que momentos antes tinha sido colocado num quarto individual. Os funcionários acreditam que talvez tenha sido este o motivo que levou o doente a atear o fogo com o isqueiro que tinha escondido.

Segundo João Oliveira, este doente apresentava muitos sintomas de agitação e horas antes do incêndio deflagrar o paciente tinha entrado em conflito com outro doente mental tendo sido, por este motivo, colocado pela equipa clínica num quarto individual isolado, para sua protecção e também para a segurança dos outros utentes. Pensa-se que o facto de este homem estar num quarto isolado o levou a tentar vingar-se do hospital por pensar que os enfermeiros e os auxiliares o queriam castigar, daí ter ateado o fogo como forma de fazer pagar o hospital pelo sucedido. Como este doente, de cerca de 40 anos, tinha vários problemas mentais não foi necessário abrir um processo-crime uma vez que o mesmo não sabia o que fazia e que iria continuar no Hospital.

Após o início do incêndio, os bombeiros foram chamados de imediato ao local e em consequência do mesmo um Bombeiro ficou com um dedo cortado e uma auxiliar e uma enfermeira ficaram intoxicadas com a grande quantidade de fumo que inalaram. Segundo as autoridades e os bombeiros, neste incêndio de pequena dimensão apenas houve registo de três casos de feridos ligeiros, mencionados anteriormente, uma vez que os 53 doentes que se encontravam no local foram de imediato retirados do hospital para garantir a sua protecção e segurança.