Dois militares da Guarda Nacional Republicana do Comando Territorial de Viana do Castelo foram vítimas de um grave acidente na A3, esta manhã de segunda-feira, no troço da via que atravessa o concelho de Santo Tirso. Um dos militares ficou mesmo encarcerado no interior da viatura, um veículo ligeiro descaracterizado da Guarda Nacional Republicana e pertencente aos meios afetos ao comando territorial de Viana do Castelo. Os ferimentos deste militar, preso no meio dos destroços, foram considerados graves pelas autoridades de saúde no local. O sinistro rodoviário, um despiste seguido de capotamento, aconteceu ao quilómetro 21, numa zona onde são inúmeros os acidentes rodoviários, maioritariamente com consequências graves, quando o tempo está em condições "adversas".

A primeira corporação a chegar, os Bombeiros Voluntários de Ermesinde, encontrou uma das vítimas já fora do carro. "Uma das vítimas estava no solo e outra no interior do carro entre os destroços. Fizemos desencarceramento e extração imediata da vítima", disse Tiago Miranda, adjunto do comando dos Bombeiros Voluntários de Santo Tirso (BVST), que comandou as operações no terreno.

Já com o apoio das Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) dos hospitais de São João e Santo António, ambas afetas ao Porto, as vítimas, com cerca de 35 anos e ambas do sexo masculino, foram transportadas para o Hospital de Santo António e o ferido mais grave para o Hospital de São João.

Face à violência do embate, o motor da viatura ligeira foi mesmo projetado alguns metros. O trânsito foi cortado para prestar socorro às vítimas e para o procedimento de limpeza da A3. "Há muitos destroços na via e temos que garantir condições de segurança. A remoção dos destroços ainda vai demorar", indicou o adjunto de comando dos BVST, Tiago Miranda.

A Brigada de Trânsito da Guarda Nacional Republicana do Porto esteve no local para apurar o que se terá passado com os colegas de profissão. À hora do almoço a circulação ainda estava cortada naquele local. #Acidente Rodoviário