Um homem de 73 anos matou com uma arma de fogo a sua mulher, esta sexta-feira, em Matosinhos. A vítima encontrava-se numa fase terminal da doença. Após assassinar a mulher, o homem tentou cometer o suicídio com a mesma arma de fogo. Tudo terá começado às 15h00 na Rua Silva Pinheiro, em Matosinhos, Segundo o Correio da Manhã, foi a filha do casal que encontrou a mãe sem vida e o pai em estado grave. O homem terá, e ainda de acordo com a mesma fonte, sido encaminhado para o Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos. Até ao momento, não é possível saber mais nenhuma informação sobre o seu estado de saúde, a não ser que se encontra em estado muito grave.

Ainda segundo a mesma fonte, o casal era conhecido, pelos vizinhos, por serem pessoas pacatas, sem registo de violência e, muito menos, sem registo de casos de violência doméstica. Os vizinhos confirmaram ainda que o homem era muito chegado à sua mulher, que praticamente já não falava, devido ao seu problema avançado da doença, e que este não conseguiria viver sem ela.

Neste momento, é avançada a teoria de que o homem poderia estar perturbado e, consequentemente, deprimido com o facto da sua esposa ter uma doença muito grave em fase terminal. Sem recuperação possível para a esposa, o homem terá tentado acabar com o seu sofrimento, utilizando uma arma de fogo para praticar eutanásia, e, de seguida, terá tentado o suicídio. Mas, diga-se, que é, obviamente, uma teoria, que não passa disso mesmo, uma vez que ainda não foram avançadas mais informações. Aliás, a Polícia de Segurança Pública remeteu mais informações sobre o sucedido. Além disso, a Polícia Judiciária já está a trabalhar sobre o caso.

Este é mais um caso de violência doméstica a aumentar os números de 2015, estando este tipo de crime no topo dos motivos para a criminalidade violenta no nosso país. A teoria avançada para este crime em particular, (homicídio motivado por "eutanásia", seguido de suicídio) já foi avançada anteriormente para um outro caso, ocorrido no mês de Janeiro.