Todos os anos a Feira do Livro de Matosinhos instala-se junto à Câmara Municipal, por ocasião da grande festa da cidade - o Senhor de Matosinhos. O mesmo aconteceu este ano por iniciativa da autarquia e da editora Calendário de Letras. O certame, que decorre até 1 de junho (Dia Mundial da Criança), foi montado numa tenda situada numa das extremidade do lago que ladeia o edifício da comuna e o jardim. Para além das bancas com #Livros para todos os gostos, e a preços muito apetecíveis, dispõe de um espaço onde se realizam eventos.

Assim, quase todos os fins de tarde e à noite somos surpreendidos pela programação: "As crónicas do tuga" com Miguel Correia (15 maio, sexta 21h30); "Uma vida por 600 neurónios" com o pianista Manuel Moura e os prosadores da Editora Mosaico de Palavras (16 maio, sábado 21h30); "Castro de Guifões" com José Manuel Varela (21 maio, quinta 21h30); "Os moinhos do rio Leça" com Pedro Dâmaso (22 maio, sexta 21h30); "Lendas do Porto II" com Joel Cleto e Sérgio Jacques (23 maio, sábado 18h); "Poesia livre" nas vozes dos poetas da Editora Mosaico de Palavras e ainda "Sons livres" com Manuel Bastos e Álvaro Maio (23 maio, sábado 21h30); "Theatro Constantino Nery" com Belmiro Esteves Galego (24 maio, domingo 16h); "Siza em Matosinhos" com a arquitecta Conceição Melo e Sérgio Jacques (24 maio, domingo 18h); "As lendas do romano Cayo Carpo e do Senhor Matosinhos" com Conceição Pires (25 maio, segunda 21h30).

Esta edição da Feira do Livro foi inaugurada pouco antes das festividades do Senhor de Matosinhos com duração de cerca de três semanas. Entre o religioso e o profano (e até 31 de maio), as ruas do centro da cidade marinheira vão-se enchendo de um mar de gente para apreciar o artesanato, gastronomia, diversões, atividades desportivas e outras que são já características da Festa do Senhor de Matosinhos.

Da Igreja do Bom Jesus de Matosinhos, obra do arquiteto Nasoni, sai a grandiosa procissão ao Senhor do Padrão. E, junto à Câmara Municipal, a Feira do Livro vai continuando a fazer das suas, chamando pessoas de várias localidades e condições sociais que se misturam, sem preconceitos, nesta festa popular que é considerada um dos momentos altos das romarias do concelho e do norte do país. #Entretenimento