Antero Henrique, vice-presidente do Futebol Clube do Porto, está entre os suspeitos de operação policial que visou empresas de segurança privada. As buscas, que passaram por Braga, envolveram, de norte a sul do país, operacionais da Unidade Especial de #Polícia e dos comandos distritais da Polícia de Segurança Pública de Aveiro, Braga e Viseu. Também militares da Guarda Nacional Republicana estiveram envolvidos. Armas, carros e dinheiro são algumas das apreensões relacionadas com atividades de "associação criminosa".

Segundo a Procuradoria-Geral da República, as operações decorreram durante a noite do dia 2 e envolveram 50 buscas realizadas em vários pontos, de norte a sul de Portugal. A situação está relacionada com atividades criminosas associadas a estabelecimentos noturnos, onde os seguranças privados praticavam as atividades ilícitas. Situação que levou mesmo a alguns detidos por flagrante delito.

Com o nome de "Operação Fénix", foram detidas 15 pessoas - das quais 13 com mandados de captura - 10 carros, cerca de 121 mil euros em notas, munições e 40 armas de fogo de diferentes calibres. "Também foi apreendida documentação", confirma a Procuradoria-Geral da República, cuja operação teve coordenação do Departamento Central de Investigação e Ação Penal.

Segundo foi possível apurar, as situações envolvem favorecimento pessoal, extorsão agravada, ofensas à integridade física, armas proibidas, exercícios de atividades ilícitas, entre outros crimes. Ao que tudo indica, e apesar de não ser confirmado pela Procuradoria-Geral da República, Antero Henriques, vice-presidente do FC Porto foi, alegadamente, um dos alvos destas buscas e terá visto serem-lhe apreendidos 70 mil euros.

Para além de Braga, Porto e Lisboa, as buscas, domiciliárias e não domiciliárias, percorreram locais como Amarante, Lamego, Lousada e Vila Real. Segundo a Procuradoria-Geral da República, os indivíduos detidos vão ser presentes ao Tribunal Central de Instrução Criminal amanhã, sexta-feira, dia 3, para serem aplicadas as respetivas medidas de coação. #F.C.Porto #Crime