Após notificação feita pela Delegada de Saúde Regional do Norte, a Direção-Geral de Saúde (DGS) revelou um novo surto de legionella no Grande Porto, depois da confirmação do 12º caso de pessoas infectadas pela bactéria num espaço de cinco semanas, o que é considerado um número superior aos números registados em anos anteriores. Segundo o site Notícias ao Minuto, a Direção-Geral de Saúde considera que esta "não é uma situação que preocupe". Por outro lado, a Administração Regional de Saúde do Norte (ARSN) diz que este novo surto de legionella mereceu uma maior preocupação, acrescentando ainda que dos 12 casos registados, "e de acordo com a informação epidemológica disponível, dois estiveram fora de Portugal durante o período provável de ocorrência da infecção".

Em declarações ao jornal Público, Francisco George, Director-Geral da Saúde, afirma que "em período homólogo do ano anterior, verificaram-se sete casos ocorridos na mesma região (Grande Porto)".

A Administração Regional de Saúde do Norte encontra-se com uma investigação em curso para perceber melhor os percursos feitos pelos doentes e os locais onde estiveram nos 14 dias antes de começarem com os sintomas, com o objectivo de identificar qual é a fonte de infecção que está a causar este surto mais recente de legionella. Nesse sentido, a ARSN já realizou colheitas de água em alguns estabelecimentos localizados na região onde foram diagnosticados estes 12 novos casos. Os resultados das análises feitas até agora são negativos. Esta investigação conta com a colaboração dos hospitais da região.

Lembramos que em Novembro de 2014 aconteceu um dos maiores surtos de legionella do mundo no concelho de Vila Franca de Xira. Este surto teve início a 7 de Novembro de 2014 numa torre de arrefecimento de uma fábrica do concelho e durou cerca de duas semanas, com uma taxa de mortalidade de 3,2%,  o que significa que dos 375 indivíduos que foram infectados com a bactéria, 12 morreram. As vítimas tinham idades compreendidas entre os 43 e os 89 anos. #Casos Médicos