A chuva permanente dos últimos dias tem transformado a Trofa, no distrito do Porto, num concelho em estado de sítio. Estradas cortadas, campos inundados, moradores desesperados e preocupados com o imenso lago artificial que todos os anos se repete. As soluções para problemas antigos tardam em chegar. As pessoas com quem falámos não percebem o que falta para as autoridades resolverem este pesadelo anual. Em jeito de desabafo alguns, mais revoltados, dizem: “Quando morrer alguém, como no caso do S. José em Lisboa, eles resolvem”.

A estrada nacional 14 (EN 14) foi parcialmente cortada na Trofa, devido ao mau tempo. A situação meteorológica adversa obrigou na segunda-feira as autoridades a tomarem medidas preventivas com o corte de trânsito a estender-se ao longo de mais de um quilómetro, num trajeto onde ficam localizados quer o estádio do Trofense, quer a Câmara Municipal da Trofa. No entanto, segundo apurou o jornal Correio da Manhã, o mau tempo obrigou ao corte do tráfego numa segunda estrada nacional de acesso à Trofa, a EN 104. A GNR (Guarda Nacional Republicana) informou que as estradas nacionais 14 (Famalicão-Maia) e a 104 (S. Tirso-Vila do Conde) estiveram cortadas à passagem pelo concelho da Trofa, com o trânsito a processar-se por vias alternativas.

Os #Bombeiros Voluntários da Trofa socorreram pessoas que ficaram retidas nas inundações. A primeira situação aconteceu com um motociclista que, não acatando as indicações das autoridades (alerta de perigo), resolveu atravessar a rua CEE, tendo sido arrastado até conseguir agarrar-se a um objeto que se encontrava na estrada. Neste caso concreto, tratou-se de um homem de 35 anos, que posteriormente foi transportado pelos bombeiros para o Hospital de Famalicão, em estado de hipotermia; já o veículo que conduzia continua desaparecido. Esta operação de resgate envolveu duas viaturas e quatro bombeiros. Mais tarde, e ainda na Trofa, no lugar da Ribeira, S. Tiago de Bougado, os bombeiros foram socorrer um condutor, cujo carro avariou numa zona de inundação.

Chuva causa problemas no Norte

A chuva intensa marcou presença noutras zonas do norte do país, como Vila Verde, Amarante e Vila Real. Em Vila Verde, a estrada municipal que liga Gomide e Estrumil aluiu na passada segunda-feira devido à forte chuva, obrigando à restrição da circulação a veículos pesados e ao controlo apertado aos ligeiros, segundo adiantou fonte local. O presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, António Vilela, adiantou à Lusa que o aluimento se registou numa extensão de 20 metros, num talude com uma inclinação muito acentuada.

A subida do caudal do rio Tâmega preocupou a Proteção Civil de Amarante, porque este esteve a cerca de 70 centímetros de atingir a baixa da cidade. Entretanto, Vila Real registou 12 ocorrências em todo o distrito devido ao mau tempo, que originou derrocadas, inundações, um homem desalojado e corte na estrada nacional 2 (EN 2).    #Acidente Rodoviário