Um lar de idosos ilegal foi encerrado esta segunda-feira, 16 de Maio, pela Segurança Social, em colaboração com a Guarda Nacional Republicana. O lar funcionava há cerca de dois anos numa moradia na freguesia de Alfena, concelho de Valongo, acolhendo 14 idosos e dando emprego a sete funcionárias. A proprietária já teve, anteriormente, um outro estabelecimento idêntico, no concelho de Matosinhos. A operação de encerramento do lar foi realizada a pedido do Núcleo de Investigação e de Apoio a Vítimas Específicas da GNR, após ter recebido várias denúncias durante o último mês.

A Segurança Social referiu à agência Lusa que a sua equipa de inspecção e fiscalização detectou que o estabelecimento de residência de idosos, na Rua de Baguim, em Alfena, possuía “deficientes condições de instalação, funcionamento, salubridade, higiene e manifesta degradação dos cuidados de saúde” que eram prestados aos respectivos utentes. Ou seja, condições que representavam um “perigo iminente” para a qualidade de vida dos idosos que ali residiam. Daí que fosse necessário um “encerramento urgente” daquela residência ilegal.

Aquela acção de encerramento teve início por cerca das 07:00 horas desta segunda-feira, 16 de Maio, tendo-se prolongado durante todo o dia. Os utentes que ali residiam foram encaminhados para instituições ou para junto dos familiares, que foram contactados e informados da situação. Uma acção que contou, também, com a colaboração do Instituto de Medicina Legal e da Autoridade de Saúde Pública da Maia.

Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal de Valongo, citado pela agência Lusa, disse que desconhecia a existência daquela estrutura residencial para idosos, afirmando tratar-se de um “equipamento clandestino”. “Fomos também apanhados de surpresa”, frisou José Manuel Ribeiro, garantindo que estava a acompanhar a situação através do contacto com o director da Segurança Social. Já o oficial de relações públicas do Comando Territorial da GNR do Porto adiantou que estão a ser recolhidos elementos que possam servir de prova sobre a alegada prática de maus-tratos por parte dos responsáveis daquele lar. Até porque, segundo o testemunho de algumas ex-funcionárias e vizinhos, os idosos gritavam muito e dormiam numa cave da moradia. #Terceira Idade