Foi sem medos da multidão que o actual Presidente da República, #Marcelo Rebelo de Sousa, e o Primeiro-Ministro, #António Costa, estiveram na Avenida dos Aliados, a pé, a comemorar a festa que movimenta toda a cidade do Porto: o S. João. 

Quinze minutos após terminar o tão aguardado e emblemático fogo de artifício que caracteriza esta noite na Invicta e na cidade de Vila Nova de Gaia, o Presidente da República e o Primeiro-Ministro, acompanhados pelo Presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira - que tinham visto o fogo de artifício sobre o rio Douro - aventuraram-se pelas ruas da cidade repletas de portuenses e estrangeiros. As marteladas faziam-se ouvir, os balões erguiam-se no ar e o ambiente era descontraído e de festa. Também a líder do CDS-PP, Assunção Cristas, acompanhou os governantes neste clima de animação e dança.

Houve tempo para tudo: tirar fotografias, dar beijinhos e abraços e ainda levar umas boas marteladas. 

Perante a multidão que se encontrava na Avenida dos Aliados para assistir ao concerto da banda portuguesa Xutos & Pontapés, o Chefe de Estado optou por subir para um autocarro com varanda que se encontrava previamente estacionado no local.

A sua presença foi sentida, tendo a sua simpatia sido acompanhada por gritos da multidão que entoava "Marcelo, Marcelo, Marcelo, Marcelo, Marcelo" pelas ruas da cidade. Pouco tempo depois foi então a vez do Primeiro-Ministro subir para o lado do Presidente da República. Esta demora deveu-se a ter ficado retido entre a multidão que enchia uma das artérias principais da Invicta. 

Nesta noite em que a cidade não dorme, e à semelhança do ano que passou, os concertos de rua decorreram em 12 palcos centrais entre Porto e Gaia: desde as habituais Fontainhas (Tributo a António Mafra e Diapasão), Casa da Música (concerto de São João) e não esquecendo o Cais de Gaia (Gabriel, o Pensador e Banda Musical Albatroz). 

O funicular dos Guindais e o metro, que faz a ligação do Porto para Matosinhos, Maia, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Gaia e Gondomar, funcionaram durante toda a noite, sem interrupções ou registo de incidentes.