Na manhã de hoje (25 de abril) uma criança de quatro anos foi atacada por um cão de raça Rotweiller, que é considerada perigosa, em Leça do Balio, Matosinhos, na zona norte do país. Segundo a imprensa nacional, a criança encontra-se em estado "muito grave", no Hospital de São João, tendo sido até "desfigurada" pelo ataque do animal.

O dono do cão terá fugido do local onde o ataque aconteceu, mas acabou por ser localizado, intercetado e detido, encontrando-se agora na esquadra de São Mamede. Alegadamente este terá agredido o pai da criança antes de o cão a ter atacado.

O alerta foi dado perto das 10h00, depois de um cão de raça Rottweiler ter atacado um grupo de pessoas em Leça do Balio.

Publicidade
Publicidade

O pai da criança terá, antes de a criança ter sido atacada, advertido o dono do animal para o facto de este passear na via pública sem açaime nem trela. Este terá tentado utilizar o telemóvel para tirar uma fotografia, mas foi então que, alegadamente, terá sido agredido pelo dono do cão.

Ao que tudo indicia, durante o ataque o dono ter-se-á preocupado mais em conseguir encontrar o telemóvel do pai da menina para o impedir de o identificar a ele e ao cão, em vez de tentar puxar o cão de modo a que este não fosse capaz de atacar a menina de quatro anos.

Animal tinha chip e estava legalizado

Além da menina de quatro anos, o cão feriu ainda outras duas pessoas, apesar de estas não terem ficado em estado tão grave. Uma das pessoas que também terá sido atacada será a mãe da criança.

O animal encontra-se neste momento num canil municipal na zona de Matosinhos e, apesar do ataque e de passear sem trela e açaime, tinha chip e encontrava-se legalizado, cumprindo todos os requisitos necessários - incluindo o seguro de responsabilidade civil.

Publicidade

Note-se que, de acordo com o jornal Sol, andar com um cão na rua sem trela, só por si, dá direito a contraordenação, sendo que cães de raças consideradas perigosas devem também andar com açaime. Este ataque revela apenas que com crianças os cuidados devem ser redobrados, pois já o ano passado uma menina de 5 anos terá sido atacada pelo cão da família.

No ano passado ocorreu também um caso em que o ataque de um pitbull, mais uma raça de cães considerada perigosa, deixou uma criança em estado grave. Este último seria também o cão da família, tendo de qualquer modo atacado a menina, que na altura tinha apenas 2 anos. #Animais